Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

sábado, 30 de dezembro de 2017

Feliz Ano Novo, que 2018 seja um ano de recomeço e o início de uma nova era para Tucuruí

Estamos no final do ano de 2017, um ano difícil para o Brasil e para Tucuruí. A democracia em nosso país sofreu inúmeros golpes, o ódio se alastrou como um rastilho de pólvora insuflado por golpistas e oportunistas irresponsáveis, um golpe levou o país a ser governado por pessoas indignas (sem votos e sem credibilidade), aventureiros e entreguistas à serviço dos seus interesses, dos interesses econômicos internacionais e dos interesses de outros países.
         
Direitos trabalhistas duramente conquistados há meio século foram solapados pela Reforma Trabalhista (escravagista), a Reforma da Previdência ameaça o futuro dos trabalhadores que não têm condições de pagar previdência privada, reforma esta que se fosse boa não deixaria de fora os militares e o judiciário, durante este ano e em anos anteriores pessoas foram perseguidas, presas e condenadas sem provas, e sem um julgamento justo pela Lava Jato em sua cruzada "moralista", seletiva e ideológica, que errou tanto quanto acertou, onde os bandidos de estimação foram poupados, blindados e continuam no poder rindo, gozando da cara da população e vendendo o Brasil.
           
Em Tucuruí foi ainda pior, no Brasil uma presidente eleita foi afastada sem crime, em Tucuruí a democracia foi ferida de morte, pois o Prefeito escolhido pela população em eleições livres e democráticas foi covardemente assassinado e tombou no serviço, trabalhando para a população, vítima da ganância e da ambição desmedida. A vontade popular foi desrespeitada e os votos da maioria da população foram rasgados.
         
Assim como o Brasil, Tucuruí entrou em uma profunda crise política, que é o que acontece sempre que os interesses de grupos se sobrepõe à vontade do povo, e quando alguém resolve ferir a democracia e governar sem apoio popular e sem voto. Tucuruí se tornou um navio sem leme, envolto em uma grande crise política e com uma população revoltada.
          
Diante disso, e sem nenhuma perspectiva e clareza política, a equipe que edita o Folha de Tucuruí, que é um Blog essencialmente politico, até para não piorar a situação política que já estava caótica, resolveu dar uma pausa até que a politica e a população se acalmassem, e até que tivéssemos uma visão clara do que estava acontecendo, assim como uma perspectiva de solução para a crise que se instalou em nossa cidade, pois nesta situação tão difícil, não basta denunciar e criticar, é preciso visualizar os problemas e suas causas e apontar soluções.
        
Após o Bena assumir a Prefeitura a pouco mais de um mês, a cidade se acalmou, pois a população percebeu que havia finalmente uma luz no fim do túnel.
        
Qualquer pessoa sensata sabe que as crises que assolaram o país e Tucuruí somente poderão ser resolvidas definitivamente através da democracia e de eleições livres, onde governará quem tem voto e apoio da população, sem voto, sem apoio popular e sem credibilidade ninguém consegue governar de verdade, e em vez de fazer gestão o "ditador" vai passar todo o mandato administrando crises e apagando incêndios... E isso não é bom para o país e para Tucuruí e também não é bom para a população.
       
A história se repete, assim como seu pai e ex-prefeito Navegantes, que na época em que era presidente da Câmara Municipal deu um choque de gestão na cidade, que na época atravessava uma crise de gestão, já que a cidade estava praticamente sem comando, agora Bena tem uma grande responsabilidade histórica e moral para com Tucuruí e seu povo, Bena tem agora a missão de apaziguar a população, conter a grave crise política que se instalou depois do assassinato do Jones, e "arrumar a casa" colocando Tucuruí de volta nos trilhos e preparando a cidade para novas eleições, pois somente através de novas eleições Tucuruí poderá virar esta triste página da sua história, e continuar em frente. Vamos todos torcer e lutar para que a democracia seja respeitada e para que nunca mais os votos dos Tucuruienses sejam rasgados à bala, e para que a democracia em nossa cidade seja respeitada e fortalecida.
         
Hoje em dia os Blogs de verdade, editados por cidadãos responsáveis, comprometidos com o interesse público e com a verdade, editores estes que se identificam e assumem a responsabilidade social e jurídica pelos conteúdos que publicam, estes Blogs tem o dever de bem informar e combater a desinformação, diante do cabaré e da casa-da-mãe-Joana em que se transformaram as redes sociais, em que proliferam como moscas as páginas anônimas e perfis fake, disseminando notícias falsas, injúrias, calúnias e difamações, objetivando atender a interesses escusos e à serviço de políticos desonestos, em que seus editores se escondem no anonimato como qualquer criminoso covarde se esconde atrás de uma máscara.
         
É preciso que a população tenha informação confiável e pontos de referência contrapondo tanta informação falsa e deturpada. Informar, politizar e defender o interesse público, estes foram nossos principais objetivos nestes 16 anos de existência do Folha de Tucuruí e continuarão sendo enquanto Deus permitir.
        
Agora, neste momento tão importante e decisivo para Tucuruí, toda a população, inclusive a classe política, tem o dever de arregaçar as mangas e ajudar a colocar novamente nossa cidade nos trilhos e no rumo certo. 
       
Com esforço, com honestidade, seriedade, coragem, boa vontade e principalmente com a ajuda de Deus, nós venceremos, sairemos desta crise e chegaremos ao nosso objetivo, pois Deus sempre ajuda aos homens de boa vontade,  a verdade sempre prevalece e o bem sempre vence.
         
FELIZ ANO NOVO, QUE DEUS ABENÇOE O NOSSO BRASIL, ABENÇOE TUCURUÍ E TODO O NOSSO POVO, TRAZENDO AMOR, PROSPERIDADE E PROGRESSO PARA A NOSSA AMADA TUCURUÍ.
        
Um grande abraço...
           
Equipe Folha!!!

      

Um comentário:

  1. ANO NOVO

    Serão novos os anos que passam, os séculos e os milênios que se sucedem na ampulheta do tempo?
    Não são. O tempo, qual o concebemos, não passa de uma ilusão. Não há tempos novos, nem tempos velhos. O tempo é sempre o mesmo, porque o tempo é a eternidade.
    Todas as mudanças que constatamos em nós e em torno de nós são produtos da transformação da matéria. Esta, realmente, passa por constantes modificações. A mutabilidade é inerente à matéria e não ao tempo.
    A matéria é volúvel como as ondas e instável como as nuvens que se movimentam no espaço, assumindo variadas conformações que se sucedem numa instabilidade constante.
    O nosso envelhecimento não é obra do tempo como costumamos dizer. É a matéria que se vai transformando desde que entramos no cenário terreno. Nascemos, crescemos, atingimos as cumeadas do desenvolvimento compatível com a natureza do nosso corpo. Após esse ciclo, as mudanças tornam-se menos rápidas. Há como que ligeiro repouso. Depois, segue-se a involução, isto é, o curso descendente que nos leva à velhice, à decrepitude e à morte, quando esta não intervém acidentalmente, pelas moléstias, cortando o fio da existência em qualquer de suas fases.
    Todos esses acontecimentos nada têm que ver com o tempo. Trata-se de manifestações da evolução da matéria organizada, vitalizada e acionada pela influência do Espírito.
    O Espírito é tudo. Por ele, e para ele, é que as moléculas se agrupam, se associam, tomando forma, neste ou naquele meio, na Terra ou em outras infinitas moradas da casa do Pai, que é o Universo.
    Na eternidade e na imensidade incomensurável do espaço, o Espírito se agita procurando realizar o senso da Vida, que é a evolução. Para consumá-la, percorre as incontáveis terras do Céu. Veste e despe centenas de indumentos, assumindo milhares de formas e aspectos.
    A matéria é seu instrumento, e o meio através do qual ele consegue a sua ascensão ininterrupta.
    Nada significam, portanto, os anos que passam e os anos que despontam nos calendários humanos. O importante na vida do Espírito são as arrancadas para a frente, são as etapas vencidas, o saber adquirido através da experiência, e as virtudes conquistadas pela dor e pelo amor.
    O que denominamos — passado — é apenas a lembrança de condições inferiores por onde já transitamos. De outra sorte — o futuro não é mais que a esperança que nutrimos de alcançar um estado melhor. O presente eterno, eis a realidade.
    Encaremos assim o tempo e, particularmente, o ano novo que ora se inicia. Façamos o propósito de alcançar no seu transcurso a maior soma possível de aperfeiçoamento.

    (Vinícius. In: Na Seara do Mestre)

    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 31/12/201

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!