Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quinta-feira, 31 de março de 2016

Desmontando a hipocrisia golpista...


É golpe, é golpe e é golpe...

     
Na ditadura os militares que governaram o Brasil por mais de vinte anos, insistiam em dizer que não houve golpe e sim revolução, agora os golpistas dizem que impeachment sem crime não é golpe, os golpistas não gostam da palavra golpe, principalmente os golpistas hipócritas do Congresso que se tornou um tribunal de ladrões da mesma forma que os Tribunais do Crime do PCC, CV e TC (Primeiro Comando da Capital, Comando Vermelho, Terceiro Comando). 
      
São criminosos que se arvoram em Juízes conspurcam o legislativo e a justiça e fazem as suas próprias Leis para sequestrar o poder no Brasil e escapar da responsabilidade e da punição para os seus crimes, assim perpetuando a corrupção institucionalizada.
       

Segundo Procurador Dilma não interfere na Lava Jato


quarta-feira, 30 de março de 2016

GOLPE É “ENTREGUISTA” E MOVIDO POR “LADRÕES”


CIRO: GOLPE É “ENTREGUISTA” E MOVIDO POR “LADRÕES”


Ex-ministro e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes disse nesta quarta-feira 30 em Porto Alegre, onde participa de seminário na PUC-RS, que o processo de impeachment da presidente Dilma está sendo movido por uma "coalizão de ladrões" que deseja implementar uma "agenda entreguista", submetida a interesses internacionais; especulação que circula hoje é de que a presidente chamou Ciro para uma reunião de emergência em Brasília, e que por isso ele teria cancelado uma palestra em Santa Catarina na sexta-feira; assessoria não confirmou, nem negou o chamado de Dilma; confira a íntegra da entrevista ao portal Sul 21
         
Rio Grande do Sul 247 – O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta quarta-feira 30 em Porto Alegre, onde participa de seminário na PUC-RS, que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff está sendo movido por uma "coalizão de ladrões" que deseja implementar uma "agenda entreguista", submetida a interesses internacionais.
         
As declarações foram feitas ao portal Sul 21, do Rio Grande do Sul. Nesta quarta, circula a especulação de que a presidente Dilma chamou Ciro para uma reunião de emergência em Brasília, e que por isso ele teria cancelado uma palestra em Criciúma, Santa Catarina, na sexta-feira.
                      
Ao 247, a assessoria de imprensa do ex-ministro não confirmou, nem negou o chamado de Dilma. Disse que assegurava que, naquele momento (por volta de 16h), ele proferia palestra na PUC do Rio Grande do Sul e que, de lá, partiria para São Paulo. Sobre o convite, a assessoria disse que não poderia falar em nome da presidência. Quanto à palestra de SC, "existia um convite e uma previsão, mas por problemas de agenda, não se confirmou", informou ainda a assessoria.
      
Leia abaixo a íntegra da entrevista ao Sul 21:
       
'Coalizão de ladrões' quer derrubar Dilma para adotar 'agenda entreguista', diz Ciro Gomes
                   
Luís Eduardo Gomes, do Sul 21
        
Em Porto Alegre para participar do Seminário Dívida Pública, Desenvolvimento e Soberania Nacional, promovido pelo Sindicato dos Engenheiros (Senge), na PUCRS, o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) afirmou que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) está sendo movido por uma “coalizão de ladrões” que deseja implementar uma “agenda entreguista”, submetida a interesses internacionais.
    
Em entrevista concedida ao Sul21 e ao Jornal Já, Ciro Gomes afirmou que a saída do PMDB do governo federal,sacramentada em votação que durou três minutos na tarde de terça-feira (29), em Brasília, tem o objetivo de acelerar o processo de impeachment para tentar impedir que as investigações da Operação Lava Jato atinjam mais nomes da classe política brasileira.
     
“O doutor [Rodrigo] Janot, procurador-geral da República, está de posse de mil contas na Suíça, com US$ 800 milhões já identificados e bloqueados, com a fina flor dos políticos e dos empresários com eles conexos. Por isso que eles precisam aceleradamente [do impeachment]. Faz cinco meses que o processo de cassação do Eduardo Cunha não anda um passo sequer na Câmara e uma presidência da República da oitava economia mundial, em menos de 15 dias, pelo que nós estamos contando hoje, pode cair”, afirma Ciro.
     
Para o ex-governador, provável candidato a presidência da República pelo PDT em 2018, o impeachment da presidenta ainda não é inevitável, mas será preciso que o “povão acorde” e que haja uma mudança no contexto nacional para que ele seja barrado. Ciro ainda prevê que, caso se concretize a queda de Dilma, o vice-presidente Michel Temer terá muitas dificuldades para governar diante da crise econômica e política vivida pelo país.
     
Esse governo [Temer] não é gravemente negativo para o país só porque é ilegítimo e viola a democracia. Esse governo vem com uma agenda basicamente entreguista
      
Confira a seguir a íntegra da entrevista.
      
Como você avalia a saída do PMDB do governo?
      
Ciro Gomes: Isso é a crônica de uma morte anunciada. Se não fosse uma tragédia para o país, eu seria um dos brasileiros que poderia estar dizendo, com muita moral e coerência, que eu avisei. Quantas vezes eu falei com o Lula, eu falei com a Dilma, lá na ancestralidade desse projeto, o quanto estúpido e equivocado era colocar esse lado quadrilha da política brasileira na linha de sucessão do País. Prevaleceu o pragmatismo que acabou entregando organicamente ao PMDB a resultante do poder no Brasil, sem voto. 

E agora eles estão percebendo que podem consumar o fato, eliminar os intermediários e assumir diretamente. São componentes absolutamente escandalosos e enojantes. Eu não estou exagerando em nenhuma palavra, porque assistir o País ir para o risco que está correndo, para o Michel Temer, organicamente vinculado a tudo que está errado sob o ponto de vista institucional e de corrupção no Brasil – eu sei muito bem o que estou falando, é só pesquisar meu mandato de deputado federal, com ele na presidência da Câmara – e parceiro íntimo do Eduardo Cunha, que vira vice-presidente da República.

Com isso eles vão, apoiados pelo PSDB nesse instante, cumprir a segunda tarefa depois de assaltar o poder, que é matar a Lava Jato, que agora, sob o ponto de vista dos politiqueiros de Brasília, parece ter saído do controle. Só para eu lhe dar alguns dados que não saem na grande mídia porque não interessa. O doutor [Rodrigo] Janot, procurador-geral da República, está de posse de mil contas na Suíça, com US$ 800 milhões já identificados e bloqueados, com a fina flor dos políticos e dos empresários com eles conexos. Por isso que eles precisam aceleradamente [do impeachment]. Faz cinco meses que o processo de cassação do Eduardo Cunha não anda um passo sequer na Câmara e uma presidência da República da oitava economia mundial em menos de 15 dias, pelo que nós estamos contando hoje, pode cair.
                   
O que acontece nos dias seguintes à chegada do Temer à presidência?
                 
Ciro: O que acontece é que um governo ilegítimo se constitui. Esse governo não é gravemente negativo para o país só porque é ilegítimo e viola a democracia. Esse governo vem com uma agenda basicamente entreguista,dos últimos interesses nacionais que essa gentalha não conseguiu entregar para o estrangeiro. Anote o que eu estou lhe dizendo: petróleo e gás. Mas também para arrebentar com o rudimento de avanço social que o país experimentou, porque eles têm uma convicção, está nos textos do Armínio Fraga, de que o salário mínimo, que é base para toda massa salarial brasileira, passou do limite, que tem que ser reduzido. 
                 
Nos textos deles está lá que a política social não deve mais ser universal, e sim focada em pequenos grupos como defende o neoliberalismo mais tacanho, que inclusive está superado internacionalmente. Enfim, é uma tragédia completa para o Brasil. O que significa dizer que, dado que esses politiqueiros não conhecem o Brasil que existe hoje, que nós dissolveremos muito rapidamente esse quase consenso que está sendo construído que é pela negação, porque a sociedade brasileira está machucada pela crise econômica e indignada com a novelização do escândalo. Mas, na hora que esse consenso negativo provocar uma ruptura imprudente da nossa tradição democrática, no dia seguinte essa energia não vai para casa. E eu estarei junto com eles tocando fogo, porque não toleraremos que o Brasil seja vendido.
      
O senhor já disse que será o primeiro a entrar com um pedido de impeachment do Temer se ele assumir a presidência...
      
Ciro: É todo um contexto. Eu não sou ninguém e há muita manipulação nesse Facebook, com perfis falsos. O que eu disse, e vou repetir, é que o impeachment é um procedimento jurídico-político. Ele não pode ser nem só político e nem só jurídico, e está escrito na Constituição que essa interrupção de um mandato de um presidente da República só se dará na condição de cometimento de crime de responsabilidade. A Dilma não foi acusada de nenhum cometimento, de nenhuma dessas figuras penais da lei de responsabilidade. O pretexto do pedido que está tramitando e pode derivar numa ruptura democrática do país é o que eles chamam de pedalada fiscal, que é um crime contábil, completamente errado, não defendo, mas que todos os governos vêm fazendo e nunca, em circunstância alguma, é crime. Entre o elenco formal da lei não é crime. Portanto você tem um golpe.
                
E eu disse na entrevista e vou repetir pro senhor, se foi esse o pretexto que vai levar à ruptura do Brasil e há esse risco de ninguém mais governar o nosso país pelos próximos 20 anos, eu estou comovidamente convencido disso, eu entrarei imediatamente com um pedido de impeachment baseado no fato, que eu já tenho todos os documentos, de que o Michel Temer, como vice-presidente ocupando a presidência da República, assinou dezenas de decretos de pedaladas fiscais, igualzinho a Dilma. Portanto, se valer para ela juridicamente – evidentemente que isso é só pretexto -, vai ficar a sociedade brasileira muito esclarecida de que isto também foi uma molecagem de golpe. Mas vou entrar na hora.
    
A partir do impeachment da Dilma e de um possível impeachment também do Temer, qual seria a solução? Novas eleições?
     
Ciro: Um impeachment só acontece quando há uma construção consensual. Hoje, esse consenso não existe ainda. Ele se acelerou muito por conta de você ter feito encontrar interesses internacionais poderosos, que têm uma influência importante na formação da mega mídia, especialmente de São Paulo, que se autodenomina imprensa nacional, e do Rio de Janeiro, com uma sociedade muito angustiada com a crise econômica e com a loucura da denúncia moral, que foi extremamente passionalizada com aquilo que pareceu ao povo uma jogadinha miúda, metendo o centro da República nela, que é trazer o Lula para dentro do Palácio. 
     
Eu espero que ainda dê tempo e que essa marcha da insensatez se interrompa. Não acontecendo, o próximo passo de um impeachment do Michel Temer é muito improvável, porque imediatamente ele passa a ser o representante no poder dos interesses internacionais, que hoje estão na clandestinidade, balançando as bases da democracia brasileira.
   
É só vocês fazerem uma pesquisa rapidinha: quais são os lugares da Geografia do mundo onde há petróleo com algum excedente e você imediatamente vai ver a mesma instabilidade que há no Brasil, até agravada. Agravada, por exemplo, como é o caso do Iraque. Agravada pelas tensões no Irã, agravada pelas tensões no Egito, pelas tensões na Líbia. É uma coisa que não é coincidência. Arábia Saudita está balançando. A Venezuela, na nossa América Latina, está completamente em frangalhos, a sua institucionalidade. Isso é um jogo bruto, não é um jogo para criança. 
       
Agora, esse interesse passa a vencer. Imediatamente a mídia correlata já está fazendo o que para qualquer brasileiro é uma coisa enojante. Um partido que está há 10 anos mamando, roubando, escandalosamente e fisiologicamente entranhado no governo, que, portanto, se tem alguma coisa boa no governo, ele pode reclamar para si também e, se tem alguma coisa completamente errada, o PMDB também é responsável por isso. Sai (do governo) e a Rede Globo faz uma novela dignificando, nobilitando o gesto do PMDB. É a novilíngua. George Orwell, no livro “1984”, escreveu sobre isso.
    
Ciro, você fala de entreguismo do PMDB…
               
Ciro: Está escrito. Leia o que eles estão chamando ridiculamente de Ponte para o Futuro.
              
O senhor acha que o PMDB tem condições políticas de implementá-lo?

Ciro: Nenhuma chance. É uma grande fraude. É uma grande e imensa fraude porque o Brasil hoje tá pinçado por três crises, e uma alimenta a outra, e “trocar Chico por Manel” não resolve nada. Pelo contrário, quando você excita expectativas simplórias, grosseiras, como está acontecendo hoje, em que todo o problema brasileiro seria essa novela moral, que nós vamos trocar uma pessoa que não tá acusada de nada por uma linha de sucessão que é Michel Temer, Eduardo Cunha, Renan Calheiros – os três estão citados na Lava Jato e ela é a única que não foi citada nem é investigada em coisa nenhuma -, o que acontece no dia seguinte? Eles vão trabalhar para desarmar a Lava Jato, mas as três crises vão estar do mesmo tamanho.

Vamos lá, crise número 1: internacional. Um constrangimento, eu diria para você, paradigmático. O Brasil encerrou um ciclo, nós perdemos qualquer veleidade de ter um projeto de desenvolvimento, nisso o PT comete talvez seu maior erro. Fez um avanço, mas não institucionalizou nada, não mexeu em estrutura nenhuma do País. O resultado prático é que, quando terminar o ano de 2016, entre produtos industrializados que nós vendemos para o estrangeiro e produtos industrializados que nós compramos do estrangeiro, o buraco já está em US$ 110 bilhões. A gente vinha, até 2014, pagando este buraco com um ciclo de commodities muito caras. Então, eu estou trabalhando na CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), nós vendíamos, em 2014, uma tonelada de minério de ferro por US$ 180. Chegamos a vender por US$ 40. 
                    
O petróleo, quando nós comemoramos a maravilhosa descoberta do pré-sal, eu estava lá ajudando a fazer a lei de partilha, aquilo tinha e tem ainda o condão no futuro de mudar radicalmente a estrutura brasileira social, econômica e de infraestrutura, o que acontecia, o petróleo custava US$ 110. Então, a gente gasta US$ 41 para tirar um barril de petróleo, com este nível de escala hoje, e vendíamos a US$ 110. É uma fortuna. Pois bem, o petróleo custa US$ 41 para tirar e nós estamos vendendo a US$ 30. “Micou” o pré-sal. Você tem a soja, o milho, etc., que não caíram tanto, mas caíram 15%, 20% todos. Ou seja, a gente artificializou de fora para dentro uma conta macroscópica do Brasil com o estrangeiro e esse ciclo morreu e morreu para sempre – pelo menos pelas duas próximas décadas. O país está desafiado a recelebrar toda a sua matriz de desenvolvimento agora, catando outro lugar aonde assentar essa imprudência de não termos uma política industrial de comércio exterior. Então, segura a primeira crise que eu quero ver como esses golpistas vão tratar.
            
Segunda crise, quando você tem um desequilíbrio nas suas contas externas, você transfere para dentro do país uma variável que é a desvalorização da moeda. Eu não tenho tempo aqui, mas, basicamente, se eu tenho um buraco nas contas com o estrangeiro, a consequência prática dentro do país, a primeira, é que a moeda se desvaloriza. O real se desvaloriza perante o dólar. Isto imediatamente se irradia para os preços, todos os preços que são imediatamente sensíveis ao câmbio. 
    
Por exemplo, você compra pão, pão é trigo, o Brasil não produz trigo com suficiência, importa, é dólar. Então, se você tem uma desvalorização do real frente ao dólar, o pão fica mais caro, a pizza fica mais cara. Remédio, 75% da química fina brasileira é importada. Se você desvalorizada a moeda, o remédio fica mais caro. Passagem de ônibus, a principal variável é o diesel, diesel é petróleo, petróleo é câmbio. Então, você tem uma pressão de preços relativos que dá uma miragem de inflação. 
      
Tentaram botar desde o senhor Fernando Henrique, e o PT manteve a mesma equação, a economia num tal piloto-automático do inflation target, que aqui tomou o nome de meta da inflação. Aí você atira com taxas de juros. Você tem a maior recessão, que não é mais, é depressão econômica, da história do Brasil, e a taxa de juros do Brasil é a maior do mundo. Eu quero ver o que essa calhordice aí, desses golpistas salafrários, vai fazer no dia seguinte que tomar posse.
     
E, terceiro, a crise política. Ou você acha que PT, MST, CUT, Ubes, eu e todos nós que estamos convencidos de que há um golpe em marcha no Brasil vamos deixar esse governo governar para vender o País para o estrangeiro. Nenhuma chance. Nós vamos para o pau contra eles. Eu não reconheço legitimidade nesse governo que está querendo se construir em cima do golpe. Eu não reconheço e vou lutar, no meu limite, com as ferramentas que estiveram a meu alcance, para que essa tragédia não se abata sobre o Brasil.
     
O impeachment é inevitável?
     
Ciro: Não é inevitável. Eu estou lhe falando e é preciso que a gente date as coisas, porque as coisas estão muito frenéticas no Brasil, mas o que a sociedade precisa saber é que o processo de cassação do Eduardo Cunha, pilhado com milhões de dólares no estrangeiro roubados da Petrobras, flagrantemente, tudo demonstrado com interações internacionais constrangedoras, faz cinco meses não deu o primeiro passo ainda na comissão, e essa coalizão de ladrões, esta cleptocracia que está se organizando ao redor do senhor Michel Temer, está querendo derrubar uma presidente em 20 dias. Tá marcado para o dia 17 de abril e, no momento em que eu estou lhe falando, só um milagre nos salva. Esse milagre é possível de ser praticado se o nosso povo acordar, não só nós que já estamos na luta, mas o povão, que ainda está vendo as coisas, com muita razão, com um pé atrás, mas eu ainda tenho esperança que Deus toque o coração e a cabeça da sociedade brasileira. E isso pode mudar as coisas.
        

terça-feira, 29 de março de 2016

Humor - A obsessão de Temer Iscariotes...

Obsessão
    
   
   

     

E se Temer tivesse um só pingo de decência?

             
Se Temer tivesse um pingo de decência renunciaria ao cargo e sairia do Governo junto com o PMDB. 
              
Se a Dilma cair o PMDB ganha, mas não leva, o próximo na queda é o Temer, ou ele pensa que vai ter vida mansa, que o povo gosta de traidor e que pode governar sem voto?
    
Aos verdadeiros democratas com sede de vingança se unirão os que vão fatalmente se decepcionar ao constatar após o golpe, que foram enganados e que a corrupção vai continuar ainda mais forte, desta vez com a proteção e a conivência dos três poderes e da imprensa.
    
Com o poder nas mãos do PMDB e do PSDB com seus líderes corruptos, a Lava Jato e a fanfarronice do Moro não duram um mês. Ou pensam que Temer, Cunha, Renan e Aécio permitirão que as investigações prossigam até que eles sejam condenados e presos?

Morte suspeita de detetive que acusou Aécio Neves alerta movimentos sociais

Na manhã de sábado, Lucas Arcanjo foi encontrado morto em sua própria casa. Família reafirmou, neste domingo, não acreditar na hipótese de suicídio

Por Redação – de Belo Horizonte
O detetive Lucas Gomes Arcanjo, afastado do serviço por licença médica, foi encontrado morto na janela de seu quarto com uma gravata enrolada no pescoço. Conhecido por fazer denúncias que associavam o senador Aécio Neves (PSDB) à lavagem de dinheiro e ao narcotráfico, o policial já havia sofrido quatro atentados, como supostas formas de retaliação. Um deles o deixou com uma seqüela na perna que o obrigou a andar com ajuda de bengala. A família não acredita em suicídio.
Arcanjo divulgou uma série de acusações contra o então governador mineiro Aécio Neves, mas nenhuma investigação foi adiante
Na manhã de sábado, Lucas Arcanjo foi encontrado morto em sua própria casa. A morte de Lucas Arcanjo dominou boa parte dos comentários de internautas e postagens de diversos blogs nas redes sociais ao longo das últimas horas. Diversos foram os comentários destacando a similitude do histórico caso em que “suicidaram” o jornalista Vladimir Herzog, durante a ditadura militar, com a morte do Lucas Arcanjo.
blog Megacidadania realizou, em outubro de 2014, uma longa entrevista com Lucas Arcanjo, na qual ele reafirmou todas as denúncias e exatamente no dia seguinte à entrevista surgiu um bombástico documento comprovando uma das denúncias que envolvia Aécio Neves.
A atriz Tássia Camargo manteve contato telefônico com a família de Lucas Arcanjo e disponibilizou um vídeo relatando a importante conversa. Tássia informou ao blog Megacidadania que a família de Lucas Arcanjo rechaça de forma veemente a possibilidade de suicídio.
“As autoridades estaduais em Minas Gerais, especialmente o Ministério Público/MG, estão na obrigação de realizar uma intensa investigação para esclarecer esta suspeitíssima morte que tem odor de queima de arquivo, ele sabia demais. Lucas Arcanjo prestou diversos depoimentos às autoridades, tanto estaduais bem como à Polícia Federal e é dever dessas autoridades divulgar para o distinto público que encaminhamentos ou desdobramentos concretos ocorreram”, afirma Alexandre Teixeira, editor do Megacidadania.
“Faz-se imperiosa a criação de uma força tarefa especial constituída por autoridades de Minas e de âmbito federal, pois só assim Aécio será convocado para prestar esclarecimentos e/ou informações, afinal, o policial Lucas Arcanjo é o segundo cadáver a rondá-lo. Ao tempo em que é dever de tod@s exigir que as denúncias por ele divulgadas – de público e em depoimentos oficiais – sejam aprofundadas para o bem da (combalida) credibilidade de nosso sistema policial/judicial, finalizamos este post enviando mensagem de pêsames aos familiares e amigos de Lucas Gomes Arcanjo um policial que engrandeceu Minas e dignificou o Brasil”, acrescentou.

Aécio acusado

Arcanjo tinha dificuldades para andar e usava muletas devido a uma sequela deixada por um dos quatro atentados que sofreu, desde 2002, como suposta retaliações às denúncias que o tornaram famoso.
Pelas redes sociais, o policial postava vídeos em que denunciava cacíques tucanos de Minas Gerais com uma atenção especial ao senador Aécio Neves. De acordo com o policial, que já chegou a denunciá-lo e entregar provas na Corregedoria da Polícia Civil, o tucano estava envolvido em uma série de irregularidades que iam desde lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos e até associação com o narcotráfico.

“Um playboy, um viciado, um bandido”, dizia em seus vídeos, que até hoje não surtiram nenhum tipo de investigação mais profunda.
“Desde 2002 as denúncias sempre pararam por que era de interesse do governo (na época comandado pelo próprio Aécio Neves). Sempre as denúncias estavam ligadas a órgãos e empresas do governo”, explicou em um dos seus vídeos.
Por uma rede social, o deputado estadual Durval Angelo (PT-MG) lamentou a morte do detetive mineiro.
“Sem dúvida, uma perda imensurável para todos os que lutam por uma sociedade mais justa, sobretudo, nestes tempos sombrios de atentado à democracia. Mas Lucas não se foi. Permanece vivo no exemplo que nos deixa como seu grande legado”, escreveu o parlamentar. Leia a matéria no Jornal Correio do Brasil.
Vejam o Vídeo da denuncia do investigador.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Alugam-se partidos políticos em Tucuruí...

 Alugam-se
    

Aberta a temporada de aluguel de partidos políticos em Tucuruí, paga-se em espécie e cargos públicos...

PSC e a "dança das cadeiras"

Segundo comentam nos bastidores políticos em Tucuruí, existe uma dança das cadeiras no PSC para vaga de pré-candidato a vice-prefeito na chapa do candidato do Prefeito Sancler Ferreira (PPS). De um lado está o Radialista Mauro Gomes (até agora o pré-candidato "oficial") e de outro lado o filho do Pastor Océlio.
        
Ainda segundo comentários de bastidores, os dois pré-candidatos não estão necessariamente empolgados com a perspectiva de que o candidato do Prefeito ganhe as eleições deste ano, mas querem se tornar conhecidos nesta eleição e projetarem seus nomes para a campanha para prefeito em 2020. Onde poderão até disputar a eleição com próprio Sancler, caso ele não seja condenado em um processo dentre as dezenas a que responde o alcaide e se torne um ficha-suja inelegível.
       
Vamos ver como termina esta suposta dancinha...
      

quinta-feira, 24 de março de 2016

Aécio de Ferro o herói hexadelatado mais blindado do mundo

                      
Aécio Neves presidente do psdb conseguiu o hexacampeonato, um título cobiçado pelo Brasil, foram seis delações que "não vem ao caso" segundo o Moro. Acho que o Moro e o Janot não aceitam nem mesmo uma confissão do próprio punho e registrada em cartório do Aécio, quanto mais de delatores, delação pra valer para a justiça do Brasil tem de ser contra o PT, de preferencia citando Dilma e Lula, se a delação for contra o PSDB e partidos satélites não vale.
      
Marcelo da Odebrecht entregou a quadrilha e a máfia de santinhos do pau oco que queriam o golpe e governar sem voto. E agora Moro, vai ter justiça ou "não vem ao caso"???
        

terça-feira, 22 de março de 2016

Pesquisa para Prefeito em Tucuruí Jones é franco favorito e o prefeito Sancler tem rejeição de 70% dos eleitores

                     
De acordo com a pesquisa do Instituto Doxa, o candidato Jones Willian (PMDB), aparece como franco favorito para Prefeito de Tucuruí nas eleições de 2016.
                                  
Vejam o resultado da pesquisa:
                         
Pesquisa eleitoral, Jones na frente em Tucuruí!!!!!!!
       
Se a eleição fosse hoje, Jones William (PMDB) ganharia a eleição com mais de 44% das intenções de voto. É o que revela a primeira pesquisa Eleitoral da DOXA registrada no TRE sob o nº PA-08295/2016 para a Prefeitura de Tucuruí. A pesquisa foi realizada entre os dias 10 a 12/03/2016 com uma amostra de 500 entrevistas.
   
Quando a pergunta é espontânea, em que não se apresenta os nomes dos pré-candidatos, Jones William aparece na frente com 33,8% das intenções de voto. O segundo colocado é o vereador Jairo (PSDB), candidato apoiado pelo prefeito Sancler, com 8,6%. Coronel Barata (sem Partido) vem logo em seguida com 7,5%. Joilson (PTB) aparece com 3,9%; Mauro Gomes (PSC) vem com 3,6%; Cláudio Furman obteve 1,3%, Os eleitores indecisos representam 33,8%, enquanto 6,0% tem intenção de anular ou votar em branco.
      
Já na aferição estimulada, quando se apresenta uma relação de candidatos, Jones sobe para 44,9%. O vereador Jairo fica em segundo com 13,3%, seguido pelo coronel Barata, 11,0%. Joilson surge com 8,6% e Mauro Gomes, 6,5%. Branco e nulo somam 6,5; e indecisos, 10,4%.
     
Rejeição - Em se tratando de rejeição, o vereador Jairo é o mais rejeitado, com 16,7%%; Jones tem 8,6% de rejeição. Mauro Gomes e Joilson possuem, praticamente os mesmos índices de rejeição, 7,8% e 7,6%, respectivamente. Coronel Barata tem uma rejeição de 7,0%. E 35,9% não rejeitam nenhum pré-candidato.
   
Avaliação - O governo do prefeito Sancler Ferreira (PPS) é reprovado por 70,0% dos eleitores (Ruim/péssimo); enquanto que sua aprovação é de apenas 3,6% (excelente/bom). A avaliação Regular soma 24,6%.
      

O golpe dos ficha sujas...

O golpe dos fichas sujas...


segunda-feira, 21 de março de 2016

O custo da desonestidade quem paga é o povo de Tucuruí

                   

Além de não representar a população de Tucuruí, não fiscalizar as contas da Prefeitura, além de apoiar os desmandos do Prefeito Sancler, além de receber e pagar diárias ilegais e além de alguns vereadores tentarem corromper lideranças políticas com cargos e dinheiro da Prefeitura, agora a população de Tucuruí vai ter que pagar advogados caros de Belém para livrar os vereadores de perder o mandato e irem para a cadeia.
     
A Câmara Municipal de Tucuruí contratou o Escritório de Advocacia Leão e Salles Advogados Associados para prestar serviços para a CMT, contrato no valor de R$ 160.000,00 (cento e sessenta mil). Isso é um TAPA NA CARA da população de Tucuruí já que estamos pagando para defender e livrar da cadeia os vereadores que não fazem nada pela população e ainda por cima comete crime contra a administração pública em nosso município. 
     
É um tapa na cara dos advogados de Tucuruí já que em vez de contratar e valorizar os profissionais da cidade contratam forasteiros a peso de ouro. Será que para os vereadores não tem advogado competente e de confiança em Tucuruí? E os advogados da Câmara Municipal que ganham bons salários para fazer o mesmo serviço que estes advogados contratados?
   
Clique na imagem para ampliar

ISSO É UMA VERGONHA!!!
      

domingo, 20 de março de 2016

A pergunta que não quer calar, onde estavam os puritanos hipócritas...


Onde estavam os puritanos hipócritas indignados com os palavrões do Lula em uma conversa particular, quando um estádio inteiro e na presença da imprensa mundial mandaram uma senhora de sessenta anos tomar no cu?

Quem vai governar o Brasil se a Dilma cair?

Nuvens negras no horizonte do Brasil
Quem vai exercer o poder no Brasil caso a Dilma seja afastada pelo golpe?
    
Para entender o que vai acontecer primeiro você tem que saber tudo sobre os três poderes exercidos no Brasil: legislativo, executivo e judiciário.

Poder executivo

O Poder Executivo Federal é exercido, no sistema presidencialista, pelo Presidente da República auxiliado pelos Ministros de Estado.
O Presidente da República, juntamente com o Vice-Presidente, são eleitos pelo voto direto e secreto para um período de quatro anos.
Em 1997, através de Emenda Constitucional nº 16, foi permitida a reeleição, para um único mandato subseqüente, do Presidente da República, dos Governadores e dos Prefeitos. Dessa forma, o Presidente Fernando Henrique Cardoso iniciou, em 1º de janeiro de 1999, seu segundo mandato para o qual foi reeleito em 1º turno nas eleições de outubro de 1998, se tornando o primeiro Presidente da República a ser reeleito.
Em caso de impedimento do Presidente da República, ou vacância do respectivo cargo, serão chamados sucessivamente para exercer o cargo, o Vice-Presidente, o Presidente da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Supremo Tribunal Federal.
Compete ao Presidente da República entre outros, chefiar o governo; administrar a coisa pública; aplicar as leis; iniciar o processo legislativo; vetar, total ou parcialmente projetos de lei; declarar guerra; prover e extinguir cargos públicos federais; e editar medidas provisórias com força de lei.
Caso o golpe contra a Dilma tenha exito assume o Vice-presidente Michel Temer (PMDB). E quem é Michel Temer?
Michel Temer Vice-presidente (PMDB)

Temer é investigado pelo supremo por suspeita de participação em um esquema de corrupção no Porto de Santos (Leia a matéria).
       
Temer foi vinculado a corrupção na operação Caixa de Pandora, que investigou o mensalão do DEM (Leia a matéria).
                        
O nome de Temer foi citado 21 vezes em 2009 na Operação Castelo de Areia da Polícia Federal que tinha como alvo A Camargo Correia uma das empresas investigadas na Lava Jato e investigada por crimes financeiros e supostas doações ilegais a partidos políticos. (Veja a matéria).
                                      
Temer, no governo FHC, foi padrinho de operador preso na Lava Jato (Veja a matéria).
              
Em mensagem Cunha cita repasse de R$ 5 milhões da Empresa OAS a Michel Temer (Veja a matéria).
   
Temer também foi citado nas delações premiadas de Nestor Severó e Delcídio como participante do esquema de corrupção na Petrobrás.

Caso Temer assuma a presidência Ciro Gomes se comprometeu a entrar com o pedido de impeachment contra o peemedebista, este sim acusado comprovadamente de corrupção.
Poder legislativo

É o encarregado de exercer a função legislativa do estado, que consiste em regular as relações dos indivíduos entre si e com o próprio Estado, mediante a elaboração de leis.
No Brasil, o Poder Legislativo é organizado em um sistema bicameral e exercido pelo Congresso Nacional que é composto pela Câmara dos Deputados, como representante do povo, e pelo Senado Federal, representante das Unidades da Federação. Esse modelo bicameral confere às duas Casas autonomia, poderes, prerrogativas e imunidades referentes à sua organização e funcionamento em relação ao exercício de suas funções.
Câmara dos Deputados é composta, atualmente, por 513 membros eleitos pelo sistema proporcional à população de cada Estado e do Distrito Federal, com mandato de quatro anos. O número de deputados eleitos pode variar de uma eleição para outra em razão de sua proporcionalidade à população de cada Estado e do Distrito Federal. No caso de criação de Territórios, cada um deles elegerá quatro representantes. A Constituição Federal de 1988 fixou que nenhuma unidade federativa poderá ter menos de oito ou mais de 70 representantes.
Já no Senado Federal, os 81 membros eleitos pelo sistema majoritário (3 para cada Estado e para o Distrito Federal) têm mandato de oito anos, renovando-se a cada quatro anos, 1/3 e 2/3 alternadamente. Nas eleições de 1998 foram re
Quem permanece no controle do Poder Legislativo?

Câmara dos Deputados

Eduardo Cunha Presidente (PMDB)
   
Cunha dispensa apresentações, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, é o principal político a ser denunciado até agora pelo Procurador-Geral da República por conta da roubalheira na Petrobras. 
                                  
O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu a condenação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia apresentada ao Supremo, que vai decidir se Eduardo Cunha vira réu ou não, pede a devolução de cerca de R$ 270 milhões.
      
Senado Federal

Renan Calheiros Presidente (PMDB)
    
Renan é investigado por tres crimes: Corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
       
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), responderá a três inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) decorrentes das apurações da Operação Lava Jato. Renan será investigado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. 
                                
As investigações, solicitadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foram autorizadas pelo ministro Teori Zavascki, que relata a Lava Jato no Supremo.
    
Poder Judiciário

A função do Poder Judiciário, no âmbito do Estado democrático, consiste em aplicar a lei a casos concretos, para assegurar a soberania da justiça e a realização dos direitos individuais nas relações sociais.

A estrutura do Poder Judiciário é baseada na hierarquia dos órgãos que o compõem, formando assim as instâncias. A primeira instância corresponde ao órgão que irá primeiramente analisar e julgar a ação apresentada ao Poder Judiciário. As demais instâncias apreciam as decisões proferidas pela instância inferior a ela, e sempre o fazem em órgãos colegiados, ou seja, por um grupo de juízes que participam do julgamento.
Devido ao princípio do duplo grau de jurisdição, as decisões proferidas em primeira instância poderão ser submetidas à apreciação da instância superior, dando oportunidade às partes conflitantes de obterem o reexame da matéria.
Às instâncias superiores, cabe, também, em decorrência de sua competência originária, apreciar determinadas ações que, em razão da matéria, lhes são apresentadas diretamente, sem que tenham sido submetidas, anteriormente, à apreciação do juízo inferior. A competência originária dos tribunais está disposta na Constituição Federal.
A organização do Poder Judiciário está fundamentada na divisão da competência entre os vários órgãos que o integram nos âmbitos estadual e federal.
À Justiça Estadual cabe o julgamento das ações não compreendidas na competência da Justiça Federal comum ou especializada.
Justiça Federal comum é aquela composta pelos tribunais e juízes federais, e responsável pelo julgamento de ações em que a União, as autarquias ou as empresas públicas federais forem interessadas; e a especializada, aquela composta pelas Justiças do Trabalho, Eleitoral e Militar.
No que se refere à competência da Justiça Federal especializada, tem-se que à Justiça do Trabalho compete conciliar e julgar os conflitos individuais e coletivos entre trabalhadores e empregadores. É formado por Juntas de Conciliação e Julgamento, pelos Tribunais Regionais do Trabalho, composto por juízes nomeados pelo Presidente da República, e pelo Tribunal Superior do Trabalho, composto por vinte e sete ministros, nomeados pelo Presidente da República, após aprovação pelo Senado Federal.
À Justiça Eleitoral compete, principalmente, a organização, a fiscalização e a apuração das eleições que ocorrem no país, bem como a diplomação dos eleitos. É formada pelas Juntas Eleitorais, pelos Tribunais Regionais Eleitorais, compostos por sete juízes e pelo Tribunal Superior Eleitoral, também composto por sete ministros.
E, à Justiça Militar, compete processar e julgar os crimes militares definidos em lei. É composta pelos juízes-auditores e seus substitutos, pelos Conselhos de Justiça, especiais ou permanentes, integrados pelos juízes-auditores e pelo Superior Tribunal Militar, que possui quinze ministros nomeados pelo Presidente da República, após aprovação do Senado Federal.
São órgãos do Poder Judiciário:
Supremo Tribunal Federal, que é o órgão máximo do Poder Judiciário, tendo como competência precípua a guarda da Constituição Federal. É composto por 11 ministros nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pelo Senado Federal. Aprecia, além da matéria atinente a sua competência originária, recursos extraordinários cabíveis em razão de desobediência à Constituição Federal.
Superior Tribunal de Justiça, ao qual cabe a guarda do direito nacional infraconstitucional mediante harmonização das decisões proferidas pelos tribunais regionais federais e pelos tribunais estaduais de segunda instância. Compõe-se de, no mínimo, 33 ministros nomeados pelo Presidente da República. Aprecia, além da matéria referente a sua competência originária, recursos especiais cabíveis quando contrariadas leis federais.
Tribunais Regionais, que julgam ações provenientes de vários estados do país, divididos por regiões. São eles: os Tribunais Regionais Federais (divididos em 5 regiões), os Tribunais Regionais do Trabalho (divididos em 24 regiões) e os Tribunais Regionais Eleitorais (divididos em 27 regiões).
Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal e de Alçada, organizados de acordo com os princípios e normas da constituição Estadual e do Estatuto da Magistratura. Apreciam, em grau de recurso ou em razão de sua competência originária, as matérias comuns que não se encaixam na competência das justiças federais especializadas.
Juízos de primeira instância são onde se iniciam, na maioria das vezes, as ações judiciais estaduais e federais (comuns e especializadas). Compreende os juízes estaduais e os federais comuns e da justiça especializada (juízes do trabalho, eleitorais, militares).
Sérgio Moro
Juiz Sérgio Moro a personalidade mais
 poderosa e influente do Poder Judiciário.
O Super Juiz
Hoje a figura mais importante e que tem o poder de fato dentro do Poder Judiciário no Brasil é o Juiz Sérgio Moro, um Juiz Federal justiceiro de primeira instância do Paraná que se coloca e é aceito como estando acima da Lei e da Constituição Federal do Brasil, Moro é apoiado pela oposição ao governo federal, por parte da população que o considera um herói (uma espécie de Batman brasileiro), e é apoiado ainda pela grande imprensa e pelo corporativismo do Poder Judiciário e entidades de classe do referido poder. Hoje o poder de Moro dentro do Judiciário não tem limites, dentro do judiciário ninguém tem coragem de questionar seus atos por mais ilegais e absurdos que sejam.
Conclusão:
Caso a Presidente seja deposta pelo golpe de estado o Poder Executivo será exercido por um político acusado de corrupção, o Poder Legislativo será controlado por dois políticos também acusados de corrupção, os três do PMDB que se tornará o partido mais poderoso do Brasil. Já o Poder Judiciário continua sob a influência e controle de um justiceiro acima da Lei, que adora holofotes e com complexo de Batman que tem Gilmar Mendes como Robin. 
Como podemos ver  futuro do país é incerto e núvens negras despontam no horizonte do Brasil.
QUE DEUS TENHA PIEDADE DE NÓS!!!