Alterar o idioma do Blog

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Justiça Eleitoral acata parecer do MP Eleitoral e defere a o Registro de Candidatura de Alexandre Siqueira e Jairo Holanda

 


A Justiça Eleitoral indeferiu o pedido do PTB para a impugnação da Coligação Força e União Para Crescer, que tem como candidatos a Prefeito e Vice Prefeito, Alexandre Siqueira e Jairo Holanda respectivamente.

Em sentença o Juiz Eleitoral Dr. Rafael da Silva Maia, Juiz da 40ª Zona Eleitoral PA, deferiu o Registro da Chapa da mencionada coligação e seus candidatos.

Como é de conhecimento de todos, o PTB é o partido do Prefeito de Tucuruí, que é candidato à reeleição.

Abaixo, disponibilizamos a cópia da sentença em que constam as acusações do Partido Político PTB para justificar a anulação da candidatura Alexandre e Jairo, assim como o teor da sentença do Juiz indeferindo o pedido do PTB.

Algumas considerações do Editor do Folha de Tucuruí.

Vamos partir do princípio de que TODOS erram, "quem não tem pecado atire a primeira pedra", disse o santo carpinteiro a mais de dois mil anos.

Partindo do princípio de que todos erram, fica complicado julgar os outros, pois se o fizermos estaremos julgando a nós mesmos.

Pois bem, no caso em questão, segundo a justiça Alexandre cometeu um crime, foi julgado e condenado a pagar uma multa e prestar serviços comunitários, sendo assim, quitou o seu débito para com a justiça e para com a sociedade. Diante disso Alexandre merece consideração como qualquer cidadão de bem que também comete erros, no entanto, outros nem sempre pagam por seus crimes na justiça terrena.

Outra questão: O Crime praticado pelo Alexandre foi um crime leve, com pouco efeito ofensivo para com a sociedade, já que nem mesmo foi condenado à prisão, tendo apenas que pagar multa e prestar serviços comunitários.

No entanto existem muitos crimes graves, que mesmo que o cidadão pague à justiça por seus erros, não há como reparar o dano cometido contra a pessoa humana, como é o caso do estupro e do assassinato.

No estupro a pessoa que sofreu este abuso e esta violência, carregará este trauma para o resto da sua vida, e não há nada que se possa fazer. Pode-se aliviar o sofrimento com terapias e medicamentos, mas a cicatriz ficará por toda a vida.

No caso do assassinato é ainda pior, pois quem poderá devolver a vida do pai, da mãe, do filho, do irmão, do marido e do amigo, a todos os que sofrem com a dor da perda do ser amado? Qual é o preço de uma vida? 

A dor da perda de um ente querido é uma dor lancinante, que todos os parentes e amigos da pessoa que se foi de forma tão violenta carregarão pelo resto da vida, nada que o assassino ou a justiça deste mundo possa fazer, vai trazer a pessoa de volta.

Dentro deste tema assassinato, temos o político corrupto que rouba o dinheiro público, e condena milhares ou milhões à miséria e à morte de fome ou na porta de hospitais. Estes também são assassinos cruéis e a vida vai lhes cobrar com toda a certeza.

Quantos estupradores, assassinos e corruptos estão soltos e nunca pagaram por seus crimes, pois tem poder e dinheiro para contratar os melhores advogados, e conseguir recursos em cima de recursos, que conseguem engavetar processos indefinidamente, e que por isso, muitas vezes resulta na prescrição dos crimes e consequentemente na impunidade?

Quantos políticos também batem no peito e apontam o dedo para os outros se dizendo "fichas limpas", apenas porque seus crimes ainda não foram descobertos ou estão sendo acobertados?

Há uma diferença muito grande entre a pessoa que comete o erro e paga seu débito para com a sociedade, e aqueles que cometem erros até muito piores e estão impunes.

No caso em pauta, a Justiça Eleitoral reconhece que quem comete erros e de acordo com a Lei paga seu débito para com a sociedade, deve ser reconhecido como um cidadão de bem como qualquer outro, e como qualquer outro cidadão em uma democracia, deve ter todos os seus direitos respeitados, reconhecidos e garantidos.

Vejam a sentença e o deferimento do Registro da chapa do Alexandre Siqueira e Jairo Holanda.

André Resistência


Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, racismo, homofobia, misoginia, discurso de ódio e intolerância de qualquer tipo, serão moderados e publicados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!