Alterar o idioma do Blog

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

NOVO REPARTIMENTO:MP entra com representação eleitoral contra prefeita reeleita por compra de votos

    
O representante do Ministério Público no município de Novo Repartimento, promotor de justiça Francisco Charles Pacheco Teixeira, entrou com representação na justiça no dia 21 de novembro contra a prefeita reeleita, Valmira Alves da Silva. 
   
No início do mês, a promotoria recebeu informações da Coligação Com o povo venceremos de que Valmira da Silva estaria praticando compra de votos, tendo inclusive doado equipamentos de som, avaliados em nove mil reais, se comprometendo também a pagar o valor de oito mil reais em troca de votos de fiéis da igreja Assembleia de Deus.
   
"A representada afirmou que não poderia comprar o som em seu próprio nome, porque estava em período eleitoral e poderia prejudicar sua campanha, foi então, ela que sugeriu ao fiel da igreja, Edson Abade Lustosa que comprasse os aparelhos em seu próprio nome sendo que, na data dos vencimentos das parcelas, ela lhe entregaria em mãos os valores para o pagamento” disse o promotor Francisco Teixeira.
   
A compra foi realizada em nome de Edson Lustosa conforme nota fiscal que consta nos autos da representação. Valmira da Silva chegou a repassar os valores dos equipamentos a Lustosa, totalizando seis mil reais, faltando dois mil e trezentos reais para loja. O fiel da igreja, que também é servidor público do município, afirmou ter trabalhado de motorista para prefeita no dia da eleição. Sem ter condições de arcar com o pagamento restante dos equipamentos de sons, Edson Lustosa denunciou o caso ao MP.
   
Segundo depoimentos do vice-prefeito, Roberto Aparecido de Passos, colhidos pelo Ministério Público, além da doação dos equipamentos de som, a prefeita ainda teria se comprometido a ajudar a igreja na realização de uma festa com a doação de quarenta e dois mil reais, mas em contrapartida, ela teria que se apresentada durante a festa por um pastor da igreja como candidata à reeleição. 
   
Como o pastor não tinha a intenção de apoiá-la, a candidata ofereceu o equipamento de som, que serviria a mando de Valmira da Silva para pedir votos nas ruas do município. A proposta inicial era de que a compra dos equipamentos fosse realizada no nome do pastor da igreja, mas a compra não pode ser efetuada pois seu nome estava no Serasa. 
    
Foi então, que compra foi realizada em nome do servidor público do prédio da prefeitura Edson Lustosa. Em depoimento ao MP, Edson relata que as parcelas do pagamento seriam realizadas por Valmira da Silva no dia 21 de cada mês. Quando a prefeita foi procurada pelo servidor para pagar a última parcela, ela teria dito que só pagaria depois das eleições.
   
Além de doar o equipamento de som, a prefeita reeleita também teria doado combustível às pessoas que participaram em carreatas de sua coligação. Consta em documentação enviada ao Ministério Público Eleitoral, um contrato firmado entre poder executivo local, Secretaria de Educação, por meio do Fundo de educação e estabelecimento comercial (posto de combustível) para fornecimento de óleo diesel, gasolina, óleo lubrificante para diversas secretarias e fundos municipais. Há denúncias de diferenças entre valores pagos pelo município ao posto de gasolina em relação a outros períodos anteriores à campanha eleitoral.
   
Pedidos
   
O MP requer que a justiça eleitoral da 101ª zona eleitoral condene a prefeita a pagar a multa no seu grau máximo no valor de cinquenta mil reais, a não expedição do diploma, caso a representação seja julgada até a data marcada para a diplomação. Segundo informações do cartório eleitoral da 101ª zona está marcada para o dia 12 de dezembro. Caso a representação seja julgada após a diplomação, o MP pede a cassação do registro de candidatura.
   
Edson Gillet, Edyr Falcão, Nair Araújo, Eliana Souza e Jessica Barra
Assessoria de Imprensa do MPE/PA
    

14 comentários:

  1. hummmmm!vai já ser transferido...

    ResponderExcluir
  2. aqui em tucurui tem vereador eleito sendo acusado de comprar voto por 150,00 reais,valeu edilson braga junior!vc mostrou que é um cristão de coragem e fé

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fala serio cara so vc nao sabia que tinha gente comprando voto!!? faz-me rir kkkkkkk o unico ingênuo em tucurui.....

      Excluir
    2. vc acha que esses torneios que o edilson promovel era emprou de que??? acorda veioo

      Excluir
  3. o brasil ta sendo passado a limpo, fora corrupção!!!valeu dr.charles

    ResponderExcluir
  4. eu sempre digo: o costume do cachimbo deixa a boca torta...e da-lhe justiça!

    ResponderExcluir
  5. parabens ao ministerio publico de novo repartimento tem que acabar com essa corrupcao em novo repartimento,e uma vergonha como se faz politica nesse municipio,infezlimente em tucurui #######.

    ResponderExcluir
  6. aqui a compra de votos foi realizado através do repasse de terreno localizado no bairro nova matinha tendo a mesma igreja cercado o terreno com alambrado a dito terreno fica próximo a escola tecnologica. na duvida veja se existe titulo de doação?! ###############

    ResponderExcluir
  7. Justiça sendo feita. Falta agora cassar o Sancler em Tucurí.

    ResponderExcluir
  8. Os professores de Novo Repartimento felizes com a notícia. A prefeita persegue os professores, acabou com educação da cidade. Reduziu salários de vários funcionários.

    ResponderExcluir
  9. População de Novo Repartimento recebe a notícia com festa. Fogos e comemoração por toda cidade. A população sabe que houve fraudes nas eleições. O grupo da Valmira, esposa do ex deputado Zé Lima jogam de jogo sujo. A cidade está parada, não fazem obra, perseguição contra funcionários. A gestão voltada a um pequeno grupo de pessoas que usam a prefeitura para ####################.

    ResponderExcluir
  10. migos do falha envia tudo isto que tem no folha sobre o nosso prefeito para fala com a presidenta ...

    ResponderExcluir
  11. é mais fácil passar um camelo pelo buraco de uma agulha do que julgar algum político aqui em tucurui por crime eleitoral ou desvio de verbas públicas.kkkkkkkkkkk!

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, racismo, homofobia, misoginia, discurso de ódio e intolerância de qualquer tipo, serão moderados e publicados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!