Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Sancler presta informações falsas ao MEC e tenta mascarar a sua irresposabilidade e a caótica situação da saúde pública em Tucuruí

O Elefante Branco - UNACON Tucuruí (Imagem Jornal de Tucuruí).
 
O Reator comprado e parado sem funcionar a mais de cinco anos. Inúmeras vidas estão se perdendo por culpa do Prefeito de Tucuruí que está atrapalhando e impedindo o funcionamento da UNACON.

O Prefeito Sancler Ferreira prestou informações falsas ao MEC para que o Ministério autorize implantação do curso de medicina em Tucuruí. A implantação do curso de medicina em Tucuruí representaria um avanço no desenvolvimento da nossa cidade, mas o que estamos questionando é a forma como o prefeito está agindo. Nada que se inicie com mentiras e enganações pode trazer algum benefício verdadeiro e duradouro, com certeza o Prefeito teria outros meios de justificar a vinda da Faculdade de Medicina de outra forma, como por exemplo, assumindo o compromisso de concluir as obras do Hospital e da Maternidade Municipal, assim como as demais obras da saúde pública municipal.
        
Vejam por exemplo, algumas das obras em "andamento" que o prefeito relatou ao MEC:
      
- Construção de 01 Hospital Municipal com capacidade de 70 Leitos; 
- Construção de 01 Centro Especializado em Reabilitação CER Tipo III; 
- Construção de 08 Unidades Básicas de Saúde Tipo II; 
- Ampliação do Hospital Regional de Tucuruí (Implantação do UNACON e do Serviço de Terapia Renal Substitutiva TRS); 
- Reforma do Pronto Atendimento do Hospital Regional de Tucuruí; 
- Reforma da Ala da Maternidade do Hospital Municipal de Tucuruí.
      
Todas estas obras estão paradas (algumas a vários anos) ou então sendo tocadas em passo de tartaruga, algumas destas, como a reforma da maternidade tem mais de cinco anos de embromação, aliás, graças ao prefeito Sancler que colocou a Maternidade Municipal no Hospital Regional, o Hospital que é de média e alta complexidade está funcionando de forma precária, pois além de atender aos casos graves dos municípios em torno do lago da Hidroelétrica de Tucuruí, ainda tem de assumir, ao lado da UPA, a maior parte da saúde básica de Tucuruí que é, ou seria da competência da prefeitura.
       
Graças à maternidade municipal dentro do Hospital Regional e ao prefeito Sancler Ferreira (PPS) a UNACON Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia – UNACON, localizada em uma área do Hospital Regional de Tucuruí, foi formatado em 2010, no governo Ana Julia Carepa, que deixou programado no orçamento de 2011 recursos necessários para sua construção, e aquisição de equipamentos, seu contrato foi efetivamente concluído e publicado no Diário Oficial do Estado no dia 10 de agosto de 2011, sendo a empresa Quadra Engenharia Ltda., responsável pela obra, que recebeu o valor de R$ 3.878.836,01.
      
O Ministério da Saúde que realizou a liberação de verbas federais para a conclusão das obras e a entrada em funcionamento da UNACON. Todos os equipamentos da unidade foram adquiridos, inclusive o reator nuclear para o tratamento de quimioterapia ainda em 2010.
      
A entrada em funcionamento da UNACON estava prevista a priori, para o início do mês de agosto de 2012. A UNACON atenderia a demanda de 1.000 pacientes ao mês, das regiões Sul e Sudeste do estado: Jacundá, Tailândia, Goianésia do Pará, Pacajá, Novo Repartimento, Breu Branco, e Tucuruí.

Devido á Maternidade Municipal que está dentro do HRT por culpa do Prefeito Sancler e por culpa do descaso do Governo do Estado até hoje a UNACON não entrou em funcionamento, mesmo com a instalação dos equipamentos como o reator nuclear, já testado, e em pronto funcionamento, para o tratamento em radioterapia. Infelizmente devido á irresponsabilidade do Prefeito de Tucuruí, a UNACON não esta em funcionamento, está fechada, com seus imobiliários e equipamento caríssimos, desgastando-se pelo tempo, colocando em risco até a inutilização dos equipamentos como o reator nuclear, deixados pelo governo Ana Julia, em 2010.

A UNACON faz parte do projeto Expande, do Instituto Nacional do Câncer (INCA), que tem a parceria da Universidade Federal do Pará (UFPA), Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESPA) e Secretarias Municipais de Saúde.

A finalidade UNACON era torná-la mais uma referência para o atendimento de pacientes com câncer no Estado, reduzindo a demanda para o Hospital Ofir Loyola (HOL), em Belém.
      
A UNACOM em Tucuruí tornou-se um pesadelo, restando apenas um grande “elefante branco” sem nenhuma utilidade, edificado em frente ao Hospital Regional de Tucuruí, custeado pelos cofres públicos do governo federal e do estado no valor de quase R$ 4 milhões.
      
Mas o maior prejuízo é a perda de dezenas de pacientes enfermos, que em função a escassez e as dificuldades para os tratamentos, vão a óbito em toda a região, sem o auxilio do governo do estado para o tratamento e a manutenção de suas vidas, deixando as famílias enlutadas pelas perdas repentinas, em função a gravidade da doença e a inexistência do braço do governo do estado na garantia do tratamento, mesmo com uma UNACON finalizada em Tucuruí, mas sem funcionamento.
      
Mas convenhamos, a culpa não é só do Prefeito Sancler,a culpa também é do Governador Jatene (PSDB) e dos prefeitos de Jacundá, Tailândia, Goianésia do Pará, Pacajá, Novo Repartimento e Breu Branco, cujas populações destes municípios também estão sendo prejudicadas com a situação do do Hospital Regional de Tucuruí e estão sendo prejudicadas com a paralisação da instalação e funcionamento da UNACOM e o tratamento dos pacientes com câncer de toda a região. Estes prefeitos também são omissos, coniventes e irresponsáveis, pois já poderiam há muito tempo terem tomado providências em beneficio das populações dos seus municípios.
   
Agora a pergunta que não quer calar: Onde estão os Ministérios Públicos do Estado e Federal que não tomam nenhuma providência, aliás, o MPE também tem uma parcela de culpa pela ida da Maternidade Municipal para dentro do Hospital Regional e suas consequências, pois autorizou o prefeito a cometer esta barbaridade, quando o próprio Conselho de Saúde na época era contra, e deu no que deu.
      
Vejam o resultado preliminar dos municípios contemplados com o Curso de Medicina e a justificativa do Prefeito Sancler.
      
      
     

2 comentários:

  1. Assim ta muito bom. Se para um orgão federal são passadas informações falsas, imagine para a população do município o que não dizem de enganos.

    ResponderExcluir
  2. Mas só cai quem é idiota e desinformado.

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!