Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Tucuruí não terá faculdade de medicina

Governo anuncia 2.290 vagas em novos cursos de medicina no país
      
NATÁLIA CANCIAN DE BRASÍLIA
       
Os ministérios da Educação e Saúde anunciaram nesta sexta-feira (10) a abertura de 2.290 vagas em novos cursos de medicina no interior do país. As vagas serão ofertadas em instituições privadas de 36 municípios.
       
O prazo para os novos cursos começarem a funcionar varia entre 3 e 18 meses, a depender da estrutura e organização já existente em cada local.
        
São Paulo é o Estado com maior número de vagas autorizadas para novos cursos de medicina –são 930 ao todo, distribuídas em 13 cidades do interior e região metropolitana. Em seguida, está Bahia, com 375 vagas, e Paraná, com 215 – confira a relação completa.
       
Essas são as primeiras vagas a serem ofertadas no sistema privado a partir do novo modelo de expansão dos cursos de medicina, previsto no programa Mais Médicos.
       
Antes, a abertura de novas vagas ocorria por iniciativa das instituições de ensino. Agora, é o governo quem indica as cidades que podem receber a graduação, com base em critérios como estrutura de serviços de saúde e carência de médicos. Após esta etapa, as instituições decidem se querem participar do edital.
      
De 39 municípios do interior do país pré-selecionados para a abertura de cursos, três não tiveram propostas qualificadas de faculdades e, por isso, deixaram de receber vagas. São eles: São Leopoldo (RS), Limeira (SP) e Tucuruí (PA). Ainda cabe recurso. O resultado final será divulgado em 28 de agosto.
       
Segundo o Ministério da Educação, as instituições que devem receber os cursos foram selecionadas após análise de critérios como experiência, comprovação de capacidade econômico-financeira e proposta pedagógica. Outro requisito avaliado era oferta de bolsas para alunos de baixa renda em até 10% das vagas. Para ler a matéria na Folha de São Paulo, Clique Aqui.
      
Fonte: Folha de São Paulo
      
Nota do Folha - Diante de tanta coisa e de tanta notícia ruim que está acontecendo em nossa cidade, mais esta decepção não foi nenhuma surpresa, é claro que a faculdade não veio, não houve interesse político já que a faculdade seria de interesse público, e o interesse público não é prioridade para os governantes de Tucuruí. 
       

14 comentários:

  1. a gente precisa é de cursos em instituições públicas e não particulares meia boca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário parece coisa de criança que quando perde alguma coisa diz que não queria mesmo ou que aquilo não prestava É meia boca para Tucuruí, porque para as outras 35 cidades que ganharam o curso não era.
      O que não precisamos mesmo é de políticos meia boca mas isso não falta em Tucuruí, principalmente na prefeitura e na câmara municipal.

      Excluir
    2. Falo isso não pela perda do curso em si para a cidade, mas se você acompanhar o noticiário Brasil a fora, irá observar que a maioria dos cursos de medicina em instituições particulares tem reprovação dos alunos nos exames da classe. E "meia boca" a que me refiro, falo das instituições presentes na cidade e não do curso. Interpretação mandou abraços.

      Excluir
  2. Foi isso o que eu entendi e a resposta permanece a mesma, em minha opinião você esculachou com os cursos universitários particulares em Tucuruí, para amenizar o impacto na população da cidade pela perda do curso de medicina e para ‘’aliviar’’ a responsabilidade do prefeito que não se empenhou para garantir a vinda deste curso para Tucuruí.
    Se você acompanhar o noticiário Brasil a fora, irá observar que a maioria dos cursos de direito em instituições particulares tem reprovação dos alunos nos exames da classe. No entanto a aprovação nos exames de classe dos formandos de Tucuruí está dentro da média de aprovação nacional, portanto seu argumento de que os cursos universitários particulares em Tucuruí são ‘’meia boca’’ não procede. Devolva o abraço para a interpretação também...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Folha, porque tudo que vai contra a opinião de vocês é estar defendendo o prefeito? Parem de nóia. E além do mais curso de medicina precisa de uma estrutura bem maior se comparado a cursos de direito ou vocês acham que é só ficar sentando em frente ao quadro, assistindo vídeos e anotando coisas? Sem desmerecer, mas medicina tem bem mais prática do que direito. Agora me diz, qual instituição aqui da cidade teria capacidade para um curso desse? Nenhuma. Não sou hipócrita de dizer que está tudo bem aqui, mas a classe dos donos de universidades particulares também deveria ter se mexido, que em sua maioria são amigos do prefeito.

      Excluir
    2. Caramba, o anônimo se superou, esculachou com o Folha, esculachou com os Advogados que na faculdade só ficam sentados em frente ao quadro, assistindo vídeos e anotando coisas, esculachou com as faculdades particulares locais, esculachou com a cidade tão esculhambada que não pode receber um curso de medicina apesar de ter a quinta arrecadação do Pará.
      Já tem faculdade de medicina em Belém, Santarém e Marabá. Terão cursos de medicina as cidades de Bragança, Castanhal, Breves e Cametá. Quem sabe se os vereadores e o prefeito de Tucuruí não fossem políticos ''meia boca'', a nossa cidade poderia estar nesta lista...
      Cametá está de parabéns, agora os Tucuruienses se quiserem estudar medicina mais perto dos seus familiares terão que ir para Cametá. Fazer o que, é isso que dá votar nas pessoas erradas. http://www.edaamazonia.com.br/colunitas/27-luis-peres/540-faculdade-de-medicina-em-cameta

      Excluir
  3. Não sei se vcs sabem mas a oferta do curso de medicina só faz aumentar o custo de vida na cidade. Podem observar nos municípios de médio porte com o curo de medicina. A população tucuruiense não ia entrar nesse curso e ainda iria ter que pagar um preço alto pela vinda dele.
    Sinceramente, eu achei ótimo não ter vindo medicina pra tucuruí, pois aí sim, veríamos um aumento da pobreza na nossa cidade.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Pois eu comento. Esse anônimo se entregou quando disse que "a população tucuruiense não ia entrar nesse curso". É parente do Vieira, ou é o próprio? Na opinião dele o povo de Tucuruí continua burro!

      Excluir
    2. Primeiro, não sou parente desse Vieira e segundo, tenho certeza que poucas pessoas da cidade cursariam Medicina. Além do mais, nenhuma faculdade de Tucuruí tem estrutura pra medicina. Não é pq tem enfermagem caindo aos pedaços e funcionando precariamente que medicina pode ser tb.
      Sinceramente, deveriam era fechar enfermagem nessas faculdades de Tucuruí pq não têm o mínimo de estrutura para a formação de profissionais qualificados para o mercado de trabalho.

      Excluir
    3. Apoiado vamos transferir todas as faculdades para Cametá, Tucuruí não está com nada... E os tucuruienses são muito burros para cursar medicina, por isso o Sancler não apoiou e o curso foi para Cametá, os tucuruienses só cursam mesmo direito porque é um cursinho fácil e meia boca e porque a Prefeitura paga pros peixes cursarem.

      Excluir
    4. O objetivo dos comentários é contribuir para com a informação e o aprimoramento da matéria, mas o que está acontecendo é que as pessoas estão falando muitas bobagens e sandices, parece até programa eleitoral, o que não contribui em nada para com o debate, é uma besteira maior que a outra, o que é uma ofensa à inteligencia dos nossos leitores.
      O Folha prefere a qualidade do que quantidade de comentários, não adianta muitos comentários se estes comentários não contribuem em nada para com o esclarecimento e entendimento do tema proposto pela matéria.
      Sendo assim, para manter o nível do blog vamos aumentar a moderação dos comentários. De qualquer forma nossos parabéns ao povo de Cametá que merece um curso tão importante como o curso de medicina.
      Para os estudantes de Tucuruí que queiram estudar medicina, resta o consolo de que Cametá fica perto, apenas 170 quilômetros, e que apesar de ficarem longe de suas casas e familiares poderão aproveitar as belezas naturais de Cametá e a hospitalidade dos cametaenses, um povo bom, bonito e que sabe se divertir.
      Equipe Folha.

      Excluir
  5. Eu não estou fazendo propaganda eleitoral pra ninguém até pq não moro em Tucuruí e nem no Estado do Pará. Eu apenas mostrei o lado que ninguém pensou que poderia e certamente aconteceria na cidade: o custo de vida que eleva e muito quando ocorre a implantação do curso de medicina. Sei disso pq moro em uma cidade do interior de outro estado que elevou substancialmente o custo de vida depois que implantaram o curso de medicina, assim como em outras cidades que tiveram essa msm situação, e a população da cidade que sofre arcando com esse aumento abusivo, visto que 99% dos acadêmicos são pessoas de condições econômicas elevadas e oriundas de outros estados e regiões do país. Só isso!

    ResponderExcluir
  6. Desculpe anônimo, mas uma curiosidade: até entendo que algumas pessoas comentem como anônimo por medo ou por constrangimento e até vergonha de assumir um posicionamento, mas anonimato de cidade e de Estado em que reside é ridículo. Por que não disse o nome da cidade e do Estado? Sabe porque? Porque você sabe que faríamos a pesquisa e mostraríamos que está mentindo, você é daqui mesmo e pelos comentários e argumentos tão lógicos e inteligentes, deve ser algum vereador ou assessor da PMT ou CMT. Segundo, Tucuruí tem 105.000 habitantes, portanto qualquer pessoa minimamente inteligente saberia que somente uns 300/400 alunos (Estou me baseando no número de alunos de TODOS os cursos da UEPA em Tucuruí), ou seja 0,38% da população da cidade poderiam afetar o custo de vida em uma cidade de 105 mil habitantes, pelo contrário, estes alunos viriam para estudar e trariam mais dinheiro para circular na cidade.
    Quanto ao custo do curso para os tucuruienses, a prefeitura banca o curso de direito na Gamaliel para um monte de gente (alguns com salário superior a R$ 10.000,00 Dez mil) chegados do prefeito e poderia também bancar o curso de medicina para muitos tucuruienses.
    Mas agora eu entendi porque o Prefeito acabou com o carnaval em Tucuruí, era para evitar que os turistas de situação economia elevada gastassem dinheiro no comércio de Tucuruí e elevassem o custo de vida na cidade. (Rs)
    Outra coisa, tem gente que tem muito dinheiro em Tucuruí, é só ver os carrões de luxo dos marajás da prefeitura e dos invasores da Praça do Rotary, fora os marajás da Câmara Municipal que chegam a receber mais de R$ 17.000,00 só de salário, para estes o custo de uma faculdade de medicina é troco.

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!