Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

Luto

Luto

sábado, 24 de junho de 2017

Ex-prefeito de Tucuruí se recupera e cresce em pesquisas internas

               
O ex-prefeito Sancler Ferreira PPS, segundo pesquisas internas, está mostrando uma rápida recuperação eleitoral, segundo as pesquisas ele teria hoje 30% das intenções de votos para deputado em Tucuruí.
          
Estes números são altíssimos levando em conta a situação e a imagem do ex-prefeito quando deixou à prefeitura de Tucuruí, sua imagem estava tão desgastada que o mesmo não aparecia nas propagandas políticas do seu candidato à sucessão, pois as pesquisas diziam que se fizesse isso ele poderia prejudicar a candidatura do seu sucessor.
              
Muitos dizem que Sancler pode não conseguir ser candidato se for condenado em apenas um, dos inúmeros processos a que responde na justiça, porém isso é improvável, mesmo que ele seja condenado em primeira instância terá direito a recorrer e não existe tempo hábil para que ele seja condenado em segunda instância se tornando inelegível nas eleições de 2018. Somente a condenação em segunda instância poderia impedir o ex-prefeito de se candidatar e de se eleger. Caso se eleja Sancler adquire foro privilegiado, o que o beneficiaria juridicamente. 
          
No entanto, a recuperação eleitoral do ex-prefeito em Tucuruí pode trazer sérias consequências políticas ao PMDB, e para os candidatos do partido a deputado e a governador. Lembrando que os candidatos a governador do PMDB em Tucuruí sempre tiveram uma ótima votação, mesmo quando o PMDB estava fora da PMT e era oposição ao governo municipal e Estadual.
       
Nas últimas eleições o candidato do PMDB Helder Barbalho teve cerca de 75% dos votos em Tucuruí, isso é um fenômeno levando em conta que o PMDB investiu somente R$ 10.000,00 na campanha em Tucuruí (veja no TSE), muito surpreendente esta votação, já que o candidato apoiado pelo prefeito Sancler era o adversário do PMDB, o então Governador Jatene.
            
No entanto hoje um paradoxo se estabelece em Tucuruí, temos o PMDB no governo e a o mesmo tempo presenciamos a recuperação e ascensão política do ex-prefeito do PPS que é adversário do partido do governo, este fato revela que a política da situação em Tucuruí está completamente equivocada, podendo inclusive refletir negativamente no desempenho dos candidatos do PMDB à Assembleia Legislativa e ao Governo do Estado.
          
As eleições Estaduais no Pará estão polarizadas entre o PSDB e o PMDB, que são aliados em nível nacional e inimigos dentro no Pará. Temos que levar em conta que o PMDB, a exemplo do PT, é composto por várias tendências em um único partido, com políticas particulares em cada Estado e em cada município.
          
Tucuruí e seu eleitorado não são os maiores do Pará, no entanto é inegável a sua importância estratégica e exerce forte influência política nos municípios do entorno do lago, geralmente os candidatos do PMDB ao Governo do Estado têm na cidade uma diferença de mais de 20.000 votos acima dos seus adversários, o que em uma eleição apertada faz toda a diferença e pode decidir a eleição, esta vantagem está sendo ameaçada pela política equivocada do governo.
            
Não é de admirar que a oposição esteja ganhando espaço à galope, a Coordenação PUlítica amadora da PMT comete erros em cima de erros, inclusive no relacionamento do executivo com o legislativo e judiciário, além disso, para piorar, a oposição ocupa hoje cargos chaves e estratégicos na PMT e até em gabinetes de vereadores "da base" exercendo forte influência até mesmo no legislativo, enquanto aliados com experiência e vasto conhecimento político são deixados de lado, subvalorizados e não são ouvidos.
               
O político deve ter uma visão ampla e abrangente, tem de parar de fixar somente o seu próprio umbigo e passar a olhar para os lados e para frente, na política e no poder, questões pessoais e passionais não tem lugar, o político deve ser pragmático e deve se preocupar prioritariamente com o interesse público, e com a sua sobrevivência política e a sobrevivência política do seu grupo. 
             
Grandes homens não cultivam mágoas ou ressentimentos na vida pública e não vivem do passado, eles olham o presente e o futuro, cada aliado de ontem ou potencial aliado de amanhã é muito importante, o fato de o estadista gostar do aliado ou não, não tem a menor importância e é irrelevante, afinal o político não vai se casar com seus aliados, o que importa realmente é o papel que o aliado tem para a execução do projeto político do governante e para a manutenção do poder.
              
Ser um empresário bem sucedido e experiente, não quer dizer que o cidadão seja um bom político ou um bom conselheiro político em questões de Estado, e muito raramente são, a iniciativa privada é completamente diferente do setor público, a iniciativa privada visa somente o lucro a qualquer preço e não depende de voto, o setor público não visa lucro, precisa de voto e o seu único objetivo (ou deveria ser) é o bem estar da população e a satisfação do eleitor.
              
O gestor que tentar administrar uma empresa pública como uma empresa privada vai fracassar e dar com os burros n'água, não tem erro, sem uma Coordenação Política (com P maiúsculo) eficiente e profissional todo governo está destinado ao fracasso. 
               
A oposição hoje não precisa fazer nada em Tucuruí, a Coordenação PÚlítica da PMT já faz este papel com maestria e eficiência invejável, e no ano que vem o PMDB terá a gratidão da população da cidade pelo aumento de despesas familiares em suas casas com a chegada de uma conta à mais para pagar, como cortesia do governo peemedebista... 
          
Uma boa troca, uma conta desnecessária e uma despesa à mais para o povo, uma quebra de compromisso de campanha, em troca da credibilidade da administração e em troca dos votos do eleitorado em Tucuruí.
                      
Clap, clap, clap!!!

       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!