Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Seguradoras dificultam o pagamento do Seguro DPVAT

Se pode dificultar, para que facilitar?
As seguradoras estão dificultando o quanto podem o pagamento do Seguro DPVAT, se já era difícil para o cidadão comum no passado receber o Seguro DPVAT, agora o recebimento deste seguro está ficando quase impossível diante das exigências cada vez maiores por parte das seguradoras.
          
Para que o cidadão receba o seguro DPVAT, as seguradoras exigem uma enorme série de documentos e procedimentos, muitos deles complexos para o cidadão comum. O DPVAT é um seguro obrigatório de abrangência nacional que ampara motoristas, passageiros e pedestres que foram vítimas de acidentes causados por veículos automotores em vias terrestres. Ele foi criado com o objetivo de garantir indenizações para três naturezas: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares. Mas como tudo no Brasil, uma coisa é ter esse direito e outra bem diferente ter este direito reconhecido, e no caso do DPVAT é receber de fato a indenização devida.

       
Para o cidadão comum não é fácil receber a indenização do seguro DPVAT caso faça o requerimento por conta própria e sem assessoramento, um laudo errado, parcial ou deficiente, a falta de algum documento ou um BO mal feito, por exemplo, pode inviabilizar o recebimento do seguro, e mesmo que toda a documentação esteja em ordem, o valor a ser pago depende do critério e avaliação da Seguradora, não raramente o valor do seguro concedido é inferior ao valor a que o segurado tem direito, isso quando não é negado, o que enseja milhares de processos na justiça todos os meses, isso quando o cidadão tem conhecimento ou orientação profissional, caso contrário geralmente o cidadão fica no prejuízo.
     
Os profissionais que intermedeiam os cidadãos que sofreram acidentes de trânsito e tem direito ao Seguro DPVAT, recebem em normalmente 20% da indenização (20% é melhor que não receber nada) e fazem todo o serviço de assessoramento, montam e acompanham por meses todo o processo para o cidadão que pleiteia o Seguro DPVAT, orientando quanto à documentação necessária e correta, e no caso da Seguradora lesar o direito do cidadão não pagando a indenização correta ou pagando a menos (jamais pagam a mais), os profissionais indicam advogados de confiança para que o cidadão possa reivindicar com êxito o seu direito através da justiça.
       
As seguradoras colocaram à disposição dos cidadãos a possibilidade de pedirem o Seguro DPVAT gratuitamente pelos Correios, aparentemente esta medida visa beneficiar o cidadão, que desta forma não teria que pagar a comissão dos corretores (intermediários), no entanto a verdade é outra, todo empresário busca maior lucro não importa os meios. Você leitor, acreditaria que uma seguradora criaria um método eficiente para facilitar o recebimento do Seguro DPVAT reduzindo os seus lucros? Isso não faz sentido, seria a seguradora agir deliberadamente para gastar mais dinheiro com indenizações e reduzir seus lucros, ou será que as seguradoras DPVAT são ONGs sem fins lucrativos que visam altruisticamente o bem estar social? Não, as seguradoras foram criadas para dar lucro para seus donos e associados e não para fazer caridade.
     
Na verdade sem assessoramento competente o cidadão leigo tem dificuldades para conseguir e juntar a documentação necessária e fazer os procedimentos necessários e corretos para receber o seguro DPVAT, ainda mais que os funcionários dos Correios apenas enviam os documentos que são entregues pelo cidadão, não tendo conhecimento suficiente, nem interesse no processo e nem interesse em assessorar o cidadão para que o mesmo receba a sua indenização, para ele tanto faz pois receber e enviar os documentos do cidadão é apenas um trabalho, se o cidadão receber o seguro o funcionário não ganha nada com isso e se não receber também não ganha também, além do mais mesmo que o funcionário dos Correios ganhasse alguma coisa por este trabalho, os mesmos seriam remunerados pela Seguradora, portanto defenderiam a Seguradora e seus interesses e não os interesses do cidadão.
     
O requerimento do Seguro DPVAT através dos correios, em nossa opinião não passa de um ardil, por sinal muito eficiente por parte das seguradoras, para reduzir e muito os pagamentos de indenizações e ao mesmo tempo impedir ou reduzir a quantidade de ações judiciais. O ardil ainda prejudica o cidadão de outra forma, já que os corretores e advogados cobram mais caro dos cidadãos que recorrem aos Correios e não recebem a indenização, diante da dificuldade de corrigir os erros e refazer novamente um processo mal feito.  É muito mais difícil refazer um processo DPVAT do que formalizar um processo novo.
      
Resultado: Grande parte dos cidadãos que fazem o requerimento do DPVAT pelos correios ou não recebem, ou tem de pagar a mais para os corretores ou para o advogado corrigirem e refazerem o processo para que recebam o seguro a que tem direito, ou estes recorrem aos profissionais ou não recebem nada. 
          
Se os profissionais que trabalham com o Seguro DPVAT, que conhecem as Leis e os procedimentos corretos, estão tendo enorme dificuldade para que seus clientes recebam o seguro DPVAT, imagine o cidadão leigo que não conhece os trâmites e não tem assessoramento profissional? 
            
O cidadão que abre um processo contra seguradoras de DPVAT tendo bom assessoramento (ao contrario dos que requerem o seguro sem assessoria) tem uma altíssima chance de obterem êxito, apesar dos artifícios e do grande aparato jurídico das ricas seguradoras. 
            
Leve em conta que se você tem uma moto, quase 90% do total do valor do licenciamento da sua moto é somente o seguro DPVAT (Veja os valores no seu boleto de licenciamento), o lucro das seguradoras é enorme, mesmo para quem tem um carro e o valor do seguro obrigatório é menor que o das motos o valor do seguro DPVAT é exorbitante, e assim mesmo as Seguradoras criam toda uma série de dificuldades na hora de pagar o seguro. O proprietário do veículo é obrigado a pagar o DPVAT, mas é a seguradora quem decide a seu critério quanto paga e se paga ou não.
        
A verdade é que os órgãos reguladores do Brasil, cuja finalidade é (ou deveria ser) fiscalizar a atuação das empresas que prestam serviços essenciais e de interesse público, este órgãos com raras exceções, defendem prioritariamente os empresários que detém o poder econômico, em detrimento da população em sua maioria indefesa e ignorante dos seus direitos, por isso pagamos no Brasil as maiores taxas do mundo para ter serviços públicos deficitários e ineficientes. 
        
Esta é a minha maior restrição à privatização no Brasil, os nossos empresários são muito predadores, visando o lucro a qualquer preço e a qualquer custo, e não existe um controle eficaz e competente para a defesa do cidadão neste país.
        
O empresário no mundo e em especial o empresário brasileiro, visa somente o lucro e não tem visão de interesse social, quando o empresário brasileiro investe em uma ação social é para fazer marketing e seu investimento é descontado do imposto de renta, ou seja, quando "aparentemente" fazem caridade é por interesse próprio, dão com uma mão e recebem com a outra, pior que isso, a classe empresarial no Brasil odeia quando o governo ajuda os menos favorecidos. Quanto mais pobres e miseráveis no Brasil, mais mão de obra barata, menores salários e mais lucro para suas empresas.
          
Leve em conta as informações contidas nesta matéria quando necessitar do Seguro DPVAT, pois estas informações podem fazer a diferença entre ser indenizado ou não. 
         

8 comentários:

  1. A Seguradora Líder-DPVAT acaba de divulgar seu Boletim Estatístico de 2016 e, só no Estado do Pará, pagamos, no último ano,1.200 indenizações por morte; 10.564 por Invalidez Permanente; e 1.032 por DAMs (reembolso de despesas médico-hospitalares), decorrentes de acidentes de trânsito. Todo o balanço de indenizações pagas está disponível no site da Seguradora para consulta pública.

    Reforçamos, ainda, que o beneficiário ou seus herdeiros legais (em caso de morte) podem solicitar o pedido de indenização gratuitamente em qualquer um dos mais 8 mil pontos oficiais de atendimento espalhados por todos os municípios brasileiros, como as agências dos Correios. O prazo para entrar com o pedido é de até três anos, contados a partir da data do acidente.

    A documentação necessária para cada tipo de cobertura está descrita no sitewww.seguradoralider.com.br e pode ser informada também pelo SAC DPVAT 0800 022 1204, que funciona 24 horas por dia e sete dias por semana. As redes sociais da Seguradora Líder-DPVAT no Facebook ,Twitter, Instagram , SlideShare e Youtubetambém disponibilizam informações didáticas sobre o seguro, assim como possibilitam a interação com os usuários que precisam tirar dúvidas.

    Estamos à disposição para esclarecimentos adicionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma ótima resposta, mas gostaria de saber se tem ou há possibilidade de evitar, isso mesmo, evitar o pagamento para quem no momento do "acidente" estiver em discordância com o código nacional de transito? um exemplo: bêbado, tanto motorista ou pedestre irresponsável.
      por que assim fica parecendo que qualquer fato é merecedor de benefício e algumas vezes as pessoas extrapolam e abusam desse recurso. faço um paralelo com o seguro defeso que muito que nunca pescaram ou entraram em barco e querem o dinheiro.
      pura ganancia e jeitinho malando brasileiro.

      Excluir
    2. Não tem nada a ver, a partir do momento que você paga o seguro (Ele é obrigatório) você está coberto. O objetivo do seguro DPVAT é para o pagamento de despesas médicas e funeral no caso de óbito, em caso de acidente você só não recebe o seguro se o veículo for seu e o pagamento do seguro esteja atrasado. Mas mesmo que o seguro esteja atrasado se outra pessoa se ferir no acidente, caso não seja o dono do veículo, o seguro paga a indenização e depois o proprietário do veículo terá que ressarcir o valor à seguradora.
      Quanto à responsabilização do condutor ou do pedestre pelo acidente, é uma questão criminal e não tem nada a ver com o seguro DPVAT.
      Mas quero reiterar que as seguradoras, á cada dia, estão de fato criando dificuldades para o pagamento do seguro DPVAT e quando pagam muitas vezes o valor é menor do que o que o acidentado teria direito, o que provoca uma quantidade enorme de processos na justiça.
      Quando o acidentado não tem orientação profissional, fica mais difícil atender a todas às exigências das seguradoras e no caso da recusa do pagamento, sem orientação profissional o cidadão na maioria das vezes desiste da indenização, mesmo que tenha o direito de recorrer à justiça e de receber o que lhe é de direito.

      Excluir
  2. Reiteramos que não publicamos comentários com denuncias sem provas. Equipe Folha.

    ResponderExcluir
  3. Seria interessante a substituição do DPVAT e IPVA por um seguro geral (que incluísse também danos ao patrimônio, que são a maior causa de brigas no trânsito).

    ResponderExcluir
  4. Resposta por e-amil de Rafael Canellas7/03/2017 11:53 PM

    De: Rafael Canellas - Approach
    Data: 03/07/2017 20:10:42
    Para: folhadetucurui@gmail.com
    Cc: Cristiane Simões - Approach
    Assunto: Seguradora Líder-DPVAT

    Prezado(a) Editor(a),

    Somos da assessoria de imprensa da Seguradora Líder-DPVAT. Sobre os comentários no artigo Seguradoras dificultam o pagamento do Seguro DPVAT no Blog de Tucuruí:

    A Seguradora Líder-DPVAT esclarece que as exigências para o pagamento de indenização miram sempre pagar certo a quem é de direito. O aprimoramento de controles e a adoção de critérios mais rigorosos na regulação de sinistros são positivos para os beneficiários na medida em que evitaram, em 2016, perdas da ordem de R$ 120,2 milhões com 9.493 tentativas de fraudes contra o Seguro DPVAT. O combate sistemático às fraudes permite, no futuro, que os valores das importâncias seguradas - sem reajuste há dez anos – sejam revistos, beneficiando as verdadeiras e necessitadas vítimas de trânsito.

    Reiteramos que a informação é a melhor aliada da população na busca pelos seus direitos. O pedido de indenização, que tem prazo de até três anos após a data da ocorrência, deve ser feito diretamente pelo beneficiário da operação, evitando a intermediação de terceiros. A documentação necessária para cada tipo de cobertura está descrita no site www.seguradoralider.com.br e pode ser informada também pelo SAC DPVAT 0800 022 1204, que funciona 24 horas por dia e sete dias por semana. As redes sociais da Seguradora Líder-DPVAT no Facebook ,Twitter, Instagram, SlideShare e Youtube são boas fontes de informação e interagem com os usuários que apresentam dúvidas. O pedido de indenização do Seguro DPVAT pode ser feito gratuitamente em mais de 8 mil pontos oficiais de atendimento espalhados por todos os municípios brasileiros, como as agências dos Correios. A indenização é paga em até 30 dias após a entrega da documentação completa.

    Abs,

    Rafael Canellas

    ResponderExcluir
  5. A Líder dificulta mesmo o pagamento. Eu ouvi o abosurdo do atendente, que meu BO estava incompleto pois não sabiam qual a roda que matou meu irmão, sendo que um caminhão engatado em um semi reboque passou por cima dele. Agora, eles querem que tenhamos bola de cristal ou fossemos perito pra saber qual foi a roda....Lembro ainda que o atendente foi informado por mim, que a vítima ainda havia sido socorrida com vida ao hospital, portanto, não dava e não da pra saber mesmo.....Empresa ridícula!!! Tenho todos os protocolos de atendimento, o acidente foi no mes 06 e até hoje não conseguimos receber para repassar ao beneficiário, que no caso dele, é minha mãe. Será que a Lider não tem a sensibilidade de que ficar remoendo um acidente com vítima faltal é uma coisa muito sofrível para a família. A Líder deveria ser processada por danos morais, isso sim.

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!