Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

Texto

As matérias mais recentes do Folha de Tucuruí

Últimas matérias do Folha

Publicidade

domingo, 6 de dezembro de 2015

ASERT volta a dar calote nas clínicas de saúde e funcionários da PMT estão em situação análoga a de escravo

Aviso na porta do IMIMI
A ASERT voltou a dar calote nas clínicas e hospitais conveniados. Criada para dar atendimento médico e funcionar como um Plano de Saúde do funcionários da prefeitura, a ASERT foi desvirtuada e hoje funciona mais como um intermediário comissionado do comércio.
               
A atual diretoria eleita pelo prefeito para permitir que a administração municipal se apodere dos descontos dos funcionários da prefeitura, além de defender os interesses do prefeito em prejuízo dos servidores municipais e em vez de dar prioridade para a saúde do servidor, dá prioridade para o pagamento do comércio local, do qual recebe 5% de comissão pelas vendas do comércio ao servidor através de convênios.
            
Uma boa parte dos servidores municipais que são associados da ASERT utilizam apenas o convênio médico, e quando a ASERT retira recurso da saúde para o comércio tendo em vista a comissão de 5%, estes servidores que querem apenas o atendimento da saúde são prejudicados, pois pagam pelo serviço que não tem, ou que é deficitário já que os recursos vão prioritariamente para o comércio.
            
A coisa é absurda, tem servidor que não recebe salário, ou recebe 10% ou 20% pois a PMT desconta até 100% do salário para a ASERT e para os bancos, o que é um crime, já que a Constituição Federal proíbe descontos acima de 30% do salário.
           
Neste ponto o SINSMUT está sendo omisso e pode-se dizer até que é cúmplice da ASERT e do Prefeito, ao não tomar providencias quanto a esta exploração e este crime que está sendo cometido contra os servidores municipais, principalmente contra os servidores que querem tão somente o serviço de saúde da associação. 
               
Muitos servidores da Prefeitura de Tucuruí estão em situação semelhante à escravidão (Não recebe salário pois tudo é descontado e compra onde o patrão e seus paus-mandados ordenam), já que estão sendo obrigados a comprar onde a direção da ASERT quer que ele compre. Pior é que assim como no trabalho escravo, é muito difícil sair do esquema da ASERT, depois que o servidor entra raramente consegue sair, já que sem salário o servidor é obrigado a comprar pela ASERT de novo, de novo e de novo, ou ele e sua família passam fome.
             
Se estes descontos abusivos e ilegais cessassem os servidores poderiam, com dinheiro em mão, comprar onde bem quisessem e poderiam sair finalmente da escravidão e da compra compulsória.
                  
Onde está o SINSMUT que não toma providência? Onde está o Ministério Público Estadual que não toma providencia? Onde está o Ministério Público do Trabalho que não toma providência?
            
ISSO É UMA VERGONHA!!!
                 

Um comentário:

  1. Quero dizer aos nobres amigos do folha, que as palavras "OMISSO e CÚMPLICE" NÃO faz parte do vocabulário do SINSMUT, que desde 20 de março de 2013 sempre mostrou a sua postura quanto as causas trabalhista e demais assuntos relevantes dos servidores e servidoras, pois nunca nos omitimos e tão pouco contribuímos e/ ou formos parceiros com quem quer que seja ao longo de nossa administração em detrimento dos servidores e servidoras do município de Tucuruí a qual temos a honra de representa-los. Sobre o caso em questão é bom lembrar aos nobres amigos que estamos trabalhando e já tivemos reunião com a secretaria de administração, com o chefe de governo(júnior Solto), e registramos o caso no Ministério Publico Estadual, além da devida divulgação nos meios de comunicação disponível em nossa cidade, tudo isso tentando uma via administrativa, pois consideramos que essa via é mas rápido a resolução, porém estamos esperando uma reunião no MPE que já estar marcada e se realizará no dia 10 de dezembro, onde iremos tratar vários assuntos e entre eles essa questão, e parti de então, se nada for resolvido na via administrativa iremos apelar para justiça, impetrando uma AÇÃO JUDICIAL, como sempre temos feito com vários casos, prova IRREFUTÁVEL que NÃO há em nenhuma caso "OMISSÃO e nem CUMPLICIDADE" deste SINDICATO. por fim convido os nobres amigos a visitar o SINSMUT e averiguar uma lista exaustiva de AÇÕES JUDICIAS contra o município e a favor dos servidores e servidoras, pois o nosso único objetivo é sempre colocar os servidores e servidoras em PRIMEIRO LUGAR PARA ISSO ACONTECER O SINSMUT NÃO PARA, SEMPRE ESTÁ EM AÇÃO!.
    Jose Miranda da Silva presidente do SINSMUT.

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!