Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Criada comissão de entidades da sociedade organizada para apurar as denuncias de irregularidades na Prefeitura de Tucuruí

Roquevam representante do MAB.
Foi criada uma comissão de entidades que representam a sociedade organizada em Tucuruí com o objetivo de apurar as graves denuncias de irregularidades na gestão do dinheiro público pelo Prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS). 
         
As denuncias que já vem sendo feitas há muito tempo pelo Folha de Tucuruí, Jornal de Tucuruí, SINTEP e SINSMUT, agora foram ratificadas e novas denuncias ainda foram acrescentadas às denuncias já existentes pelo vereador Deley (PPS) e pela Nilda Vice-prefeita (PSDB).
      
A comissão pretende apurar as denuncias e pedir providências do Ministério Público e da Justiça do Pará, e caso seja necessário, a comissão que representa a sociedade organizada em Tucuruí, pretende levar estas denuncias até o Conselho Nacional de Justiça.
        
A comissão é composta por diversas entidades e amanhã (sexta-feira) o Roquevam representante do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens) em Tucuruí falará na Rádio Floresta (se deixarem), e na sequencia dos próximos dias os representantes das demais entidades também deverão se manifestar na Rádio (se deixarem), comunicando ao povo de Tucuruí as providências que serão e estiverem sendo tomadas. A população de Tucuruí tem o direito à informação sobre a gestão pública em Tucuruí e a forma como o Prefeito Sancler Ferreira gasta o dinheiro da prefeitura.
        
Nos próximos dias o Folha de Tucuruí deve apresentar muitas novidades e informações à população de Tucuruí, estamos trabalhando para que o povo continue bem informado sobre os acontecimentos políticos e sobra a gestão dos recursos públicos em nosso município. Ainda não podemos divulgar as novidades, mas aguardem nossas matérias.
         
Equipe Folha.
        

6 comentários:

  1. Mas tinha que ser logo esse Roquevam pra nos representar?!

    ResponderExcluir
  2. Porque não? Quem já é representado pelo Sancler e as treze marionetes se for representado pelo Roquevam está muito bom. E o Roquevam representa o MAB, as outras entidades são representadas pelos seus próprios dirigentes que também vão se manifestar.
    Cuidado anônimo que o preconceito não leva à nada, e só demonstra intolerância e falta de visão.
    Nós do Folha não temos nada contra o Roquevam, que goza do respeito e da confiança dos integrantes do MAB e de muitos outros tucuruienses.

    ResponderExcluir
  3. peço encarecidamente que seja apurado também as denuncias da secretaria de educação....afinal a grande devassa foi lá...

    ResponderExcluir
  4. Gente isso não vai dar em nada. Aqui em Tucuruí estamos sem proteção, até os neurologista eles tiraram e colocaram um médico que mudou a medicação do meu filho que quase matou ele passei 9 dias com ele internado. Agora não temos aonde reclamar,pois quando vamos na secretária de saúde para marcar exame mandam passar todo dia para ver quando vão marcar isso se chama desrespeito com a população.

    ResponderExcluir
  5. Houveram muitas denuncias feita pelo o Conselho Municipal de Saúde, o Conselho anterior que tinha a Sra. Ver Alice, Elizabete e o Geraldo Sato, este conselho destas gestões foi quem deu ate subsidio para os vereadores anteriores fazerem denuncias e com provas, em todas as esferas, Federal, Municipal e Estadual, MPE, MPF, OUVIDORIA SUS, CJU E POLICIA FEDERAL, pelo o que se tem conhecimento nunca foram aprovadas as contas da Saúde de deste município. Este conselho que hora está ai foi criado por uma lei inconstitucional, pois fere a lei nacional e estadual do controle social e acaba a democracia, isso que dizer a participação da sociedade organizada e foi muitas desta sociedade organizada que participou desta criação da referida lei. E aprovada pela Câmara Municipal,
    a maternidade foi para o HOSPITAL REGIONAL sem aprovação do conselho municipal de saúde anterior, onde conselheira foi expulsar da audiência quando se manifestou contra. O documento feito pelo o MINISTERIO PUBLICO para a transferência da maternidade o gestor municipal nunca assinou, a responsabilidade desta transferência foi do promotor Beline que estava na frente do MPE, do prefeito e também de muitas entidades da sociedade organizada, inclusive o Conselho da Mulher representado pela a presidente Adriana. Os vereadores Tom e Jones tentaram nesta audiência não haver essa transferência mais o promotor os mandava calarem a boca. Acho que está mais do que na hora de ter essa comissão de pessoas que tenham compromisso com a população de Tucuruí para ver se essa blindagem acaba. Se as contas da saúde foram aprovadas foi pelo o conselho atual. E que essa comissão coloque dentro desta pauta a regulamentação da lei do controle social, para que toda sociedade organizada possa participar. Essa transferência foi na gestão de saúde da Sra. Henilda

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente podem passar um vídeo do Sancler pegando suborno que não vai dar em nada! Estamos no Brasil terra sem lei. Não acredito que essa comissão consiga alguma coisa, mas de qualquer forma, força!

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!