Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

sábado, 8 de novembro de 2014

Saúde Pública em Tucuruí - "Responsabilidades".

     
Estamos publicando um comentário que resgata um pouco da história dos desmandos na Saúde Pública em Tucuruí. Notem que a responsabilidade não é apenas do Prefeito Municipal e sim de várias autoridades do Legislativo e Judiciário e de lideranças cooptadas de Associações de Bairros. 
          
A "coisa" é mais complexa do que parece. Este comentário aponta algumas das causas do que está acontecendo hoje na Saúde Pública em Tucuruí. Infelizmente no caso da transferência da Maternidade Municipal para o Hospital Regional, até mesmo o Ministério Público Estadual através do Promotor Dr. Renato Belini aprovou e ajudou o Prefeito lhe dando apoio e suporte para que o mesmo fizesse esta transferência, mesmo com o Conselho de Saúde, Várias Associações de Bairros, quatro vereadores e vários médicos terem se posicionado contra este absurdo. Isso é lamentável, o MPE tem a obrigação de reparar este erro que cometeu contra a Saúde Pública em Tucuruí..
    
Saúde Pública em Tucuruí - Comentário postado no Blog.
                 
Houveram muitas denuncias feita pelo o Conselho Municipal de Saúde, o Conselho anterior que tinha a Sra. Ver Alice, Elizabete e o Geraldo Sato, este conselho destas gestões foi quem deu ate subsidio para os vereadores anteriores fazerem denuncias e com provas, em todas as esferas, Federal, Municipal e Estadual, MPE, MPF, OUVIDORIA SUS, CJU E POLICIA FEDERAL, pelo o que se tem conhecimento nunca foram aprovadas as contas da Saúde de deste município.
Este conselho que hora está ai foi criado por uma lei inconstitucional, pois fere a lei nacional e estadual do controle social e acaba a democracia, isso que dizer a participação da sociedade organizada e foi muitas desta sociedade organizada que participou desta criação da referida lei. E aprovada pela Câmara Municipal, a maternidade foi para o HOSPITAL REGIONAL sem aprovação do conselho municipal de saúde anterior, onde conselheira foi expulsar da audiência quando se manifestou contra. 
        
O documento feito pelo o MINISTÉRIO PUBLICO para a transferência da maternidade o gestor municipal nunca assinou, a responsabilidade desta transferência foi do promotor Beline que estava na frente do MPE, do prefeito e também de muitas entidades da sociedade organizada, inclusive o Conselho da Mulher representado pela a presidente Adriana. Os vereadores Tom e Jones tentaram nesta audiência não haver essa transferência mais o promotor os mandava calarem a boca. 
    
Acho que está mais do que na hora de ter essa comissão de pessoas que tenham compromisso com a população de Tucuruí para ver se essa blindagem acaba. Se as contas da saúde foram aprovadas foi pelo o conselho atual. E que essa comissão coloque dentro desta pauta a regulamentação da lei do controle social, para que toda sociedade organizada possa participar. Essa transferência foi na gestão de saúde da Sra. Henilda.
      

Um comentário:

  1. essa e para o povo de tucuruí te atenção na hora de eleger seus representantes, o bonito nem sempre e bom, fantasia e bobagem. A consciencia esta faltando e o respeito com tucuruí também...

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!