Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

domingo, 16 de março de 2014

Os sinais que o seu corpo não deve dar em uma entrevista de emprego

Especialistas explicam como os gestos e posturas podem transmitir mensagens erradas ou podem ajudar você a conseguir um novo emprego
        
Quem gosta de conversar com alguém que desvia o olhar ao falar ou fica de braços cruzados o tempo inteiro? A pessoa pode não estar fazendo conscientemente, mas a impressão que fica para quem está vendo não é a melhor.
          
Quando nos comunicamos, os gestos, expressões faciais, postura e qualquer outra linguagem corporal, também conhecida como linguagem não-verbal, passam mensagens tão importantes quanto aquilo que estamos falando. E em um momento tão decisivo como uma entrevista de emprego, é preciso estar atento a todas as mensagens que passamos, para que sejam coerentes e demonstrem realmente o quanto estamos interessados e somos capacitados para a vaga oferecida.
         

      
Com uma linguagem corporal boa, o entrevistador vai lhe conhecer com mais facilidade
         
Isto não quer dizer que o entrevistado deva ficar imóvel durante a seleção, mas quem tem domínio sobre a sua expressão corporal pode usá-la a seu favor. "É uma via dupla e não é um jogo de gato e rato. Quando você tem uma linguagem corporal boa, o entrevistador vai lhe conhecer com mais facilidade", conta o especialista em linguagem corporal e grafologia, Paulo Sérgio Camargo.
          
O próprio entrevistador, quando bem preparado e experiente, sabe que a situação causa nervosismo e ansiedade nos profissionais. "Muita coisa é relevada. Se você acabar rotulando o profissional por conta de um movimento que ele faz durante a entrevista, você pode estar perdendo um excelente talento", aponta Marcelo Olivieri, gerente executivo de vendas da Talenses, consultoria em RH.
          
O gerente, inclusive, lembra de um caso em que estava entrevistando um profissional com um ótimo currículo e experiência profissional, mas que falava baixo e parecia apático durante o processo. "Eu poderia fazer uma análise leviana e ter eliminado o profissional. Na entrevista, eu comecei a explorar um pouco mais e ele me contou que no caminho ele tinha batido o carro. Ele estava nervoso e chateado com a situação. Se eu não tivesse entrado nesse detalhe, eu poderia ter rotulado o profissional de uma maneira ruim", observa.
         
Para ajudar o candidato que deseja se expressar melhor com o corpo em uma entrevista e evitar ser mal interpretado pelo recrutador, o iG ouviu especialistas e selecionou 10 dicas de linguagem corporal que podem ser usadas a seu favor e até mesmo lhe garantir um novo emprego. Confira:
          
1 – Saia de casa preparado
           
“Nós somos julgados e avaliados em todos os momentos. Existem empresas que estão avaliando desde a sala de espera, para ver quem você é realmente antes de entrar”, alerta Ronaldo Cavalli, especialista em linguagem corporal e oratória. Segundo ele, adotar uma postura profissional antes da entrevista ajuda o candidato a não ser displicente ao chegar na empresa. Não adianta se sentar de qualquer jeito e falar alto enquanto espera ser chamado para entrar na sala e só se conter lá dentro. Lembre-se que outras pessoas da empresa também podem estar lhe avaliando.
          
2 – Ao entrar na sala, sorria
         
Parece um gesto simples, mas sorrir pode ser um ótimo começo. Ao fazer isso, o profissional transmite a mensagem de que está tranquilo e seguro de que se sairá bem na entrevista, pois confia em seu potencial. Além disso, demonstra simpatia. “Evidentemente, tem de ser um sorriso natural. Não adianta forçar, pois é pior”, comenta Camargo. Ao fazer isso em uma entrevista, você está passando a mensagem de que é uma pessoa confiável.
          

3 – Aperte as mãos do entrevistador
          
Culturalmente, o aperto de mão é como uma selagem de contrato entre duas partes. Ao fazer isso em uma entrevista, você está passando a mensagem de que é uma pessoa confiável e que também confia no entrevistador. “Não estique demais o braço. Dá a impressão de que você não quer cumprimentar e quer distância da pessoa”, aconselha Cavalli. Não existe uma matemática, mas o bom senso pode ajudar. Transmita vontade no aperto de mão, mas não precisa esmagar os dedos de ninguém.
      
4 – Olho no olho sempre
           
Conhece a expressão “Os olhos são o espelho d’alma”? De acordo com os especialistas em linguagem corporal, esta é uma máxima que deve ser lembrada em qualquer conversa que temos. Seja ao entrar na sala, durante as perguntas do entrevistador ou enquanto responde, tente manter contato visual com o interlocutor. Desviar o olhar constantemente pode significar que você está tentando fugir da situação ou não está interessado em conversar.
         
“Quando eu falo com uma pessoa, o resto do mundo acabou. Eu estou inserido na conversa e prestando toda a atenção. Caso contrário, vira uma coisa banal”, comenta Ronaldo Guilherme Lara Campos/Fotoarena Cavalli.
          

O ideal é manter-se com as costas eretas, sem reclinar ou inclinar demais.
          
5 – Sente-se com uma boa postura
          
Apesar da recomendação de entrar na sala de entrevista relaxado e calmo, não significa que o entrevistado pode sentar como se estivesse no sofá da própria casa. Uma postura displicente pode mandar uma mensagem de arrogância ou de que você não se interessa tanto assim na vaga oferecida. O ideal é manter-se com as costas eretas, sem reclinar ou inclinar demais.
     
6 – Descruze os braços e as pernas
        
Pode não ser a intenção, mas ao manter os seus braços cruzados enquanto conversa com outra pessoa você transmite a sensação de que está na defensiva e não está aberta para receber ou transmitir qualquer tipo de informação. Como a entrevista de emprego é o momento em que você tem de deixar o recrutador lhe conhecer melhor como profissional e como pessoa, é recomendável mostrar-se acessível e disponível para responder os questionamentos.
          

Roer as unhas: como todo mau hábito, este também envolve uma sensação de recompensa.
       
7 – Evite gestos de tensão
      
Um processo seletivo é sim uma constante avaliação e, portanto, é natural que o candidato fique nervoso durante as entrevistas. Porém, ao disfarçar a ansiedade, damos ao entrevistador uma chance melhor de nos conhecer como realmente somos no dia a dia de trabalho. Roer as unhas, esconder as mãos embaixo das pernas, agarrar-se na cadeira ou estalar os dedos são gestos que transmitem nervosismo e preocupação, podendo atrapalhar a avaliação do recrutador sobre você.
          
8 – Jamais olhe no relógio
       
Em diversas situações esse gesto seria interpretado como algo rude. A mensagem que passamos ao procurarmos saber que horas são enquanto conversamos com alguém é a de que estamos preocupados com o nosso próximo compromisso, ou a de que estamos entediados e queremos ir embora.
           
O recrutador Marcelo Olivieri lembra algumas fases do processo seletivo podem demorar horas e os candidatos devem ir preparados para isso. Ao marcar uma entrevista, cancele os seus outros programas e demonstre que está disponível e interessado em aproveitar aquela oportunidade.
       
9 – Não minta
           
Ao mentir, não há garantias de que não seremos pegos. O medo de que o entrevistador pode descobrir a verdade cria um nervosismo no candidato que, inconscientemente, vai transmitir sua tensão em gestos. Piscar mais rápido, gaguejar ou até mesmo olhar para a porta, como se querendo fugir, são alguns dos sinais que podem denunciar que aquilo o que você está falando é uma mentira. E você estará tão preocupado em sustentar a farsa, que não perceba que seu corpo está mandando outras mensagens para o recrutador.
             

Uma pessoa tímida que começar a gesticular muito poderá deixar evidente que está atuando.
       
10 – Seja natural
          
Ainda que existam maneiras de utilizar a linguagem corporal a seu favor, é preciso respeitar a naturalidade dos seus gestos. Uma pessoa tímida que, por exemplo, for a uma entrevista e começar a gesticular muito e se expressar demais com o corpo poderá deixar evidente que está atuando e que não se comporta daquela maneira no dia a dia. Este é o momento em que o recrutador precisa lhe conhecer como realmente é, para avaliar se, além das suas experiências profissionais, a sua personalidade também se encaixa com o perfil procurado para o cargo.
         
Para quem quiser ter uma ideia melhor de quais mensagens o corpo está transmitindo e se elas lhe favorecem ou não, os especialistas indicam que você simule uma entrevista e emprego em frente ao espelho ou mesmo em vídeo. Deste jeito, você analisa se a mensagem que o seu corpo está mandando é coerente com o que você quer passar e está a seu favor na busca por um novo emprego.
          

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!