Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A vida imita a arte - Um apocalipse zumbi pode acontecer.

   
Um apocalipse zumbi pode acontecer?
    
Sim! Mas não igual aos dos filmes. Os “apocalipses zumbi” cogitados pela ciência são, na verdade, situações em que muitos vivos estariam com a mesma doença ou moléstia. O comportamento deles não seria necessariamente igual ao da ficção, mas nem por isso menos assustador. E não é paranoia: EUA e Canadá já possuem cartilhas de orientação para o caso de apocalipse zumbi. Em todas as hipóteses possíveis, a chance de infecção generalizada é grande. Vá se preparando.
     
A vinda dos mortos-vivos
    
Vírus, drogas e até nanorrobôs: caminhamos para a zumbificação mais rápido do que você pensa...
    
COISA DA SUA CABEÇA
ORIGEM Protozoário CHANCE DE ROLAR 4/5
   
Transmissível por sangue, o Toxoplasma gondii é um protozoário capaz de controlar o cérebro de ratos, podendo causar mudanças de comportamento. Como o cérebro humano é parecido com o dos ratos, bastaria uma mutação do protozoário (algo corriqueiro na genética) para que virássemos um bando de dementes. Duvida? Pois saiba que, atualmente, a versão comum do bichinho já está no corpo de metade da população mundial
    
PIOR QUE A CRACOLÂNDIA
ORIGEM Drogas CHANCE DE ROLAR 3/5
   
“Sais de banho” são uma droga barata, inalável e ingerível, que causa pânico, paranoia e comportamento violento. Em 2012, sob efeito dela, um norte-americano de Nova Jersey começou a jogar parte do seu intestino em policiais. Outro comeu seu cachorro de estimação e um terceiro mordeu o rosto de um vizinho. E, sim, os efeitos podem ser permanentes
  
ATAQUE DOS CIBORGUES ZUMBIS
ORIGEM Célula morta-viva CHANCE DE ROLAR 4/5
   
Cientistas da Universidade do Novo México, EUA, criaram uma célula zumbi mais forte que as células vivas. Após a morte, ela não apenas seguiu com suas funções, mas as realizou com mais eficiência. Cientistas querem usar a experiência em nanotecnologia, o que é meio caminho andado para uma mistura de apocalipse zumbi e rebelião das máquinas
   
O AGENTE DO CAOS
ORIGEM Proteína transmissível pelo sangue CHANCE DE ROLAR 5/5
   
Os sintomas da doença de Creutzfeldt-Jakob são familiares: delírios, músculos contorcidos, andanças sem coordenação motora... Apesar de rara, a moléstia é transmitida via sangue e o agente responsável tem alta capacidade de mutação. Isso pode tornar a doença mais facilmente transmissível, como já acontece com outra causada por ele: o mal da vaca louca
   
INIMIGO ÍNTIMO
ORIGEM Vírus no DNA CHANCE DE ROLAR 1/5
   
O genoma humano contém um vírus morto chamado Borna – descoberta feita por cientistas da Universidade de Osaka, no Japão. Quando aplicado em outras espécies, ele causa problemas: os cavalos infectados, por exemplo, ficam malucos, agressivos e suicidas. A pergunta que os cientistas fazem é: será que ele pode, um dia, ter o mesmo efeito nos humanos?
   
EU, ROBÔ
ORIGEM Nanorrobôs CHANCE DE ROLAR 2/5
   
A nanotecnologia já é uma realidade na medicina e pesquisas mostram que os robozinhos permanecem ativos até um mês após a morte da pessoa. Cientistas agora planejam utilizar nanorrobôs para regenerar o cérebro de pacientes. Com o avanço da inteligência artificial, não seria impossível que eles tomassem conta do cérebro e comandassem o morto por aí
   
Fontes Centro de Controle de Desastres e Prevenção dos EUA, Universidade de Michigan, Zombie Research Society, livro O Guia de Sobrevivência aos Zumbis – Proteção Total contra Mortos-Vivos, de Max Brooks, e artigo When Zombies Attack!: Mathematical Modelling of an Outbreak of Zombie Infection (vários autores).
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!