Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quinta-feira, 15 de março de 2012

Comandante do Corpo de Bombeiros em Tucuruí, responde às matérias veiculadas na Internet, sobre o acidente no reveillon 2012.

O Major Augusto Comandante do Corpo de Bombeiros em Tucuruí, responde à matéria do Folha sobre a responsabilidade da instituição, quanto ao acidente durante a queima de fogos promovida pela Prefeitura de Tucuruí.
   
Vejam as matérias do Folha sobre o acidente no réveillon 2012 em Tucuruí.
   
   
O Major também responde a um comentário do Deputado Parsifal Pontes divulgado na Internet sobre a responsabilidade da corporação no acidente que vitimou e causou queimaduras graves em inúmeras pessoas, inclusive uma das vítimas foi uma criança de oito anos de idade, que ficou com o rosto deformado devido às graves queimaduras.
   
O Comandante afirmou que o Corpo de Bombeiros tem a obrigação de vistoriar e orientar a queima e o uso de explosivos, inclusive fogos de artifício. Tem também a obrigação de vistoriar as instalações e a segurança de eventos públicos, inclusive vistoriar a instalação de palcos, entre outras atividades, visando à segurança da população e a prevenção de acidentes e incêndios.
   
No entanto a Prefeitura de Tucuruí não comunica ao Corpo de Bombeiros quando promove eventos públicos, inclusive não comunicou a queima dos fogos de artifício na virada do ano, assim como não comunica e não solicita a vistoria nos palcos armados nas vias públicas, o que é uma obrigação legal.
   
Afirma o comandante que a queima de fogos deve ser planejada e executada por profissionais e técnicos em pirotecnia, através de projetos técnicos, obedecendo a normas internacionais de segurança para manuseio e queima de materiais explosivos. Além disso, a localização, instalação, armação e queima dos fogos, deve ser vistoriadas, acompanhadas e assistidas pelo Corpo de Bombeiros.
   
No caso do reveillon 2012, o comandante exime a corporação de responsabilidade sobre o acidente, já que o Corpo de Bombeiros não foi comunicado, portanto não houve a vistoria dos técnicos da corporação e o acompanhamento na instalação e queima dos fogos de artifício. 

Como não houve comunicação e, portanto o Corpo de Bombeiros não tomou conhecimento que haveria a queima dos explosivos, a corporação não qualquer responsabilidade sobre o acidente, pois não fez a vistoria técnica e nem acompanhou a armação e a queima dos fogos, portanto a responsabilidade pelo acidente é somente da Prefeitura de Tucuruí que autorizou e promoveu o evento.
   
Veja a entrevista do Folha com o Major Augusto, Comandante do Corpo de Bombeiros em Tucuruí.
  


2 comentários:

  1. Finalmente alguma autoridade resolve peitar a tão blindada PMT/Sampetão. Mas e por falar nesse acidente ou se deu ao final, ou está longe de chegar ao final? A situação da criança como ficou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Major não está peitando ninguém, está apenas defendendo a instituição que representa. Quanto ao caso da criança, está longe de chegar ao final, já que o caso foi parar na justiça.
      A criança está em tratamento, segundo a mãe serão necessárias umas quinze cirurgias para reconstruir o rosto da criança, tem também o tratamento com psicólogos devido ao trauma sofrido.

      Excluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!