Alterar o idioma do Blog

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pará lidera “sensação de insegurança”.

      
Mais de 63% dos habitantes não se sentem seguros no Estado, diz IBGE.

    
BRASÍLIA - Da Sucursal
   
A população paraense lidera os índices de sensação de insegurança do país. Mais de 63% dos paraenses não se sentem seguras em sua cidade, quase 50% se dizem inseguras no seu bairro e cerca de 35% não sentem segurança em sua própria casa. É o que revelam os dados da Síntese de Indicadores Sociais 2012, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 
    
Em todo o país, o índice da população que não se sente segura no município em que reside é de 47,2%, cerca de 15 pontos percentuais abaixo da marca paraense. Quanto à sensação de insegurança no seu bairro e dentro do próprio lar, os indicadores nacionais apontam as proporções de 32,9% e 21,4%, respectivamente, ambos abaixo da média paraense.
    
O IBGE utiliza dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2009) referentes ao tema "Vitimização e Justiça" para mostrar um retrato da população brasileira em 2012. De acordo com o estudo, são as mulheres que mais temem a violência no Pará. 
    
Para 65,7% das entrevistadas não dá para viver tranquilamente na cidade em que moram. Entre os homens, esse percentual é de 60,4%. Em relação à cor ou raça, os brancos são um pouco mais inseguros que os pretos e pardos. A proporção do primeiro grupo é de 66,5% e, do segundo, é de 62,2%.
    
Entre as faixas etárias, os percentuais de sensação de segurança na cidade onde reside foram todos muito baixos, com destaque para os idosos. Somente 5,7% dos que têm entre 60 e 69 anos sentem-se protegidos. 
   
Os que têm 70 ou mais são apenas 4,2%. Entre os jovens, os com idade de 10 a 15 anos a proporção foi de 19,5%. Em seguida aparecem as faixas 35 e 49 anos (19,9%) e 16 e 24 anos (20,7%). Fonte: O Liberal.
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, racismo, homofobia, misoginia, discurso de ódio e intolerância de qualquer tipo, serão moderados e publicados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!