Alterar o idioma do Blog

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Recém-nascido pode morrer devido à incompetência do prefeito de Tucuruí e do Governador Jatene


O cidadão Raimundo Moraes Pacheco Filho, tem um filho recém nascido de cinco dias, que necessita de uma cirurgia, pois não consegue se alimentar e está internado a cinco dias na maternidade do Hospital Municipal encravada no Hospital Regional de Tucuruí, seu filho precisa com urgência ser transferido para o Hospital Saúde da Criança em Belém para fazer uma cirurgia.

Acontece que o pai conseguiu uma TFD através da Drª. Cláudia Vasconcelos para que a criança seja operada em Belém, mas tanto o Hospital Municipal de Tucuruí, quanto o Hospital Regional de Tucuruí não dispõe de ambulância. O pior é que o leito estará disponível somente até hoje em Belém.

Tanto o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), quanto o Governador Simão Jatene (PSDB) são responsáveis pela vida ou morte desta criança. A população do Pará não pode pagar pela incompetência do governo municipal de Tucuruí e pela incompetência do governador.

Isso é uma vergonha, isso é assassinato, isso é o cúmulo da irresponsabilidade e da incompetência.

14 comentários:

  1. Nao é novidade essa falta de responsabilidade do prefeito, a unica coisa que ele faz e gastar o dinheiro do municipio xxxxxxxxxxxxxxxxx

    ResponderExcluir
  2. olha sinceramente,a saude de tucuruí esta um verdadeiro caos,e tanto o sancler como o jatene no meu ponto de vista não estão nem ai...

    ResponderExcluir
  3. Assim que a informação da disponibilidade de leito foi fita ao orgão regulador, a viagem foi providenciada e a criança encontra-se a caminho de Belém.
    -------------------
    Nota do Folha - Não foi bem esta a informação que nos passou o pai da criança... No entanto ele nos confirmou por telefone que ele finalmente conseguiu a ambulância, coincidentemente após publicarmos a denuncia.

    Mas estamos preparando uma matéria para amanhã, que a nosso ver explica o problema das ambulâncias em Tucuruí.

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente esses fatos só se resolvem quando há pressão em cima dos responsáveis, caso contrário não se resolveria. Se o pai da criança não procura ajuda, essa criança seria mais uma vítima da falta de assistência a saúde em Tucuruí.

    ResponderExcluir
  5. esses petistas mal amado
    só sabem jogar pedra no governo e no prefeito sancler.
    mas se esqueceram das centenas de crianças que morreram na maternidade de belém, no governo de ana julia
    isso vocês ja esqueceram
    tenho uma coisa pra falar pra população de tucuruí
    se a gestão do sancler não decolou ater hoje
    e porque esse bando de veriador indiota do pt
    ficar perseguindo
    e isso eles vão ter o troco vão todos pra fora da CMT em breve
    a unica lei que essas carnisa fizeram foi a do feriado evangelico
    Catarina

    ResponderExcluir
  6. foi pura e simples coincidência mesmo. Pois quem deve informar a disponibilidade leito é a central de leitos e não parentes d pacientes haja vista que deve ser informado onde estará disponível o leito. Seria de imensa irresponsabilidade levar um paciente para a capital sem toma a discriminação do leito disponível. Imagine ficar passeando de hospital em hospital a procura deste leito. Tão logo houve a informação foi disponibilizada a ambulância.
    ----------------------------
    Nota do Folha – Mentira deslavada, tomem vergonha na cara, será que vocês não têm um pingo de dignidade?

    No dia 31 de outubro (segunda-feira), a Drª. Cláudia Vasconcelos telefonou para o Hospital Saúde da Criança em Belém e através de seus conhecimentos conseguiu o leito.

    Ficou faltando apenas a ambulância para o transporte, que somente foi disponibilizada ontem depois da denuncia do Folha.

    Lembre que os mentirosos são vocês, mentirosos e criminosos, já que quem conhece a verdade e diz que é mentira é um criminoso.

    Caso queira levar esta estória adiante, se identifique como representante da Secretaria de Saúde Municipal, já que não vamos discutir este assunto com anônimos e puxa sacos. Queremos discutir com o boiadeiro e não com a boiada.

    ResponderExcluir
  7. nossa, ficou ofendido foi? onde fica o respeito com os frequentadores do blog? eh direito seu não acreditar e querer valorizar o blog dizendo que "sua denúncia fez algum efeito" sobre algo mas eh sua obrigação profissional ser cortÊs em seus comentários.... vocÊs são imprensa mesmo ou brinca de ser? rs
    ---------------------
    Nota do Folha - Não somos profissionais, este trabalho é voluntário e não tem objetivos econômicos.

    Você agiu como um moleque e foi tratado como tal.

    A vida de uma criança para nós é um assunto muito sério, não brincamos com isso.

    Até para ser um puxa-saco tem que ter um mínimo de dignidade. Ponto final.

    ResponderExcluir
  8. Catarina minha querida,ou tu é ingênua ou tu é muito burra!!!
    Tu mora em Tucuruí? Se mora, não está conseguindo enxergar a realidade da cidade, o caos em que se encontra Tucuruí.

    ResponderExcluir
  9. olha o que aconteceu: chegando em Belém, não havia leito nenhum disponível para o menor.... ambulância rodou, rodou, rodou até surgir uma vaga.

    ResponderExcluir
  10. amigo, se tem algo que não sei ser é puxa-saco, tampouco gosto de brincar com a vida de ninguém e muito menos estou preocupado com a briga de vocÊs com a administração.... sou concursado e isso em nada me afeta mas assim como critico a administração quando acho que está errada eu defendo quando acho que está certa e ESPECIFICAMENTE neste caso não havia a informação de leito e quando o pai procurou a secrtaria para informar sobre o leito disponivel a ambulância foi disponibilizada mas na verdade, NÃO HAVIA O TAL LEITO DISPONÍVEL em Belém

    ResponderExcluir
  11. Tá bom a Drª Cláudia e o pai da criança são mentirosos. Só o anônimo diz a verdade. Tá legal assim? Deixe que o povo julgue. Agora vamos nos ocupar de outros assuntos. Game over.

    ResponderExcluir
  12. Ei folha esse concursado é teu conhecido,é puxa saco cagueta e mentiroso, poe tua cabeça pra funcionar que vc descobre.

    ResponderExcluir
  13. Bem capaz mesmo que o Folha tenha mesmo este poder de denunciar (VERDADES OU MENTIRAS) e logo as coisas acontecerem.
    Se assim fosse tudo na PMT e CMT estaria como vcs acham que é melhor, pois dia e noite vcs praticam denuncias, entre outras baboseiras. Se a Folha representasse alguma coisa para Tucuruí neste sentido, tudo ja estaria bem e a Folha perderia sua utilidade como oposição declarada ao Sancler e a tudo na PMT e CMT.
    Acho que é importante denunciar sim, mas o que a criança precisava não tinha aqui em Tucuruí, que é uma UTI móvel, pois segundo o profissional que tratava dela no HRT ela necessitava de além de oxigênio outros cuidados e monitiramento por aparelhos, o único veículo UTI público no Sudeste do Pará está em Marabá.
    Em Tucuruí a amulãncia SAMU apesar de ser básica é a única que se aproxima de longe de UTI móvel.
    Só que SAMU não faz viagem, pelo menos não se destina a este fim, existem protocolos e termos de compromisso assinados deixando claro as circunstâncias da sua utilização. No entanto é preciso reconhecer que diante de um caso de urgencia extrema como este se pensa é na criança (paciente) depois nos protocolos.
    Mas o estado poderia conceder ao HRT uma UTI móvel para esses casos. O HRT poderia ter acionado o serviço de UTI aérea como foi feito a dias atráz para transferir um paciente para Belém.
    Nossas estradas são horríveis, perigosas, e quem já estava com risco eminente de morte deveria ser livrado de se arriscar mais, enfrentando 6 ou 7 horas de estrada sem comdições, e ser levado de avião.
    Depois de tudo isso alguém sabe se a criança passa bem? Melhorou? Agora só isso que importa! A melhora do paciente e cuidar SMS e HRT/SESPA para isso não se repetir, vamos tratar desses assuntos sempre como se o doente fosse um ente querido nosso, temos que ter uma UTI móvel a disposição do HRT para transferencia para Belém, pois lá é onde chegam os pacientes que porventura necessitem de tranferencia.

    ResponderExcluir
  14. se vier so não pode entregar a uti móvel para a prefeitura senão vira sucata rapidinho, como as outras.

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, racismo, homofobia, misoginia, discurso de ódio e intolerância de qualquer tipo, serão moderados e publicados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!