Alterar o idioma do Blog

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

EUA executam mulher que Ahmadinejad comparou a Sakineh


O Globo

RIO - A americana Teresa Lewis, de 41 anos, foi executada nesta quinta-feira no estado da Virginia, acusada de ser a mandante do assassinato do marido e do enteado, como informa a rede americana CNN. Seu caso ganhou repercussão internacional quando foi mencionado pelo presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, e gerou apelos da União Europeia (UE).

Ela estava no corredor da morte desde 2003 e foi executada por injeção letal. A execução é a primeira de uma mulher a acontecer nos EUA desde 2005. Na Virginia, a pena capital não era aplicada a uma mulher desde 1912.

Os apelos internacionais não convenceram o governador Bob McDonnell e a Suprema Corte dos EUA, que se recusaram a comutar a pena. A defesa alegava que ela não possuía inteligência suficiente para arquitetar o crime e que foi manipulada pelos verdadeiros assassinos, seus amantes.

No início da semana, Ahmadinejad denunciou uma "campanha midiática contra o Irã" no caso Sakineh Mohammadi Ashtiani, a iraniana de 43 anos condenada à morte por apedrejamento acusada de adultério e participação no assassinato do marido.

Segundo o presidente do Irã, ao mesmo tempo em que a imprensa ocidental se mostrava indignada contra a execução da iraniana, calava-se sobre Teresa Lewis. 
------------------------
Nota do Folha: Esta é mais uma prova da hipocrisia e da parcialidade da grande mídia. Será que este caso da americana está tendo e terá a mesma repercussão do caso da Iraniana?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, racismo, homofobia, misoginia, discurso de ódio e intolerância de qualquer tipo, serão moderados e publicados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!