Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Tapajós prepara outro plebiscito

  

Movimento Pró Tapajós prepara novo projeto
   
Sidnei Rocha
  
O movimento que luta em Santarém e na região pela criação do Estado do Tapajós prepara um novo projeto para tentar a aprovação do documento em Brasília.
Segundo o vereador Reginaldo Campos, membro do movimento, o projeto volta muito mais forte. No próximo mês uma emenda será apresentada no Congresso Nacional para tentar mudar as regras da lei que foi apresentada no Plebiscito.
   
Fonte: Portal Guarany
-----------------------------------
    
Opinião do Folha – Impedir a criação do Tapajós e Carajás é como um homem tentar manter ao seu lado e na marra uma mulher que não gosta dele. Ele pode até conseguir que ela fique por algum tempo, mas cedo ou tarde ela vai embora.
   
Carajás e Tapajós continuarão tentando, tentando, tentando, até que a as regras sejam mudadas e a população da região possa decidir por si mesma o seu destino, ou até que a população das duas regiões se torne a maioria no Pará. A separação é inevitável, é só uma questão de tempo.
    
Enquanto isso continua o desgaste do governo paraense e dos políticos do não, que vão ter que brigar entre si pelos votos de Belém e do Pará remanescente.

21 comentários:

  1. Como Manter amarrada????
    ta sem noção folha essa sua opinião?
    pois se o 55 Ganhou com mas de 70% de Diferencia,POrtanto e a maior parte que não quer essa Divissão.
    enterre isso já foi acabou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se dependesse de plebiscito para a Independência do Brasil, caso no plebiscito fosse incluindo os votos dos Portugueses, o Brasil ainda seria colônia de Portugal, pois os portugueses seriam a maioria na época.
      Carajás e Tapajós são colônias exploradas pela elite belenense e são governados por políticos incompetentes, em um Estado onde impera a violência, a impunidade e a corrupção desenfreada e sem controle.
      Simplesmente a justiça paraense não consegue (ou não quer) restabelecer a legalidade no Pará.
      O Estado infelizmente é uma terra sem Lei.
      A maioria absoluta das populações das colônias é a favor da divisão que virá cedo ou tarde. Ao pensar que tudo acabou você só demonstra a sua desinformação e a sua prepotência. O tempo dirá quem tem razão.

      Excluir
    2. Não foi 70% e sim 66.6% e o não só ganhou em belém e região tendo perdido feio nas outras regiões.
      1,2 milhão de pessoas, praticamente a totalidade dos habitantes do Sul e Oeste do Pará, desejam a emancipação e votaram SIM.

      Excluir
  2. Folha não esquecer toda a roubalheira do governo Jatene com suas LICITAÇÕES super faturadas. Mais isso não é problema pois o PARÁ é grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueceu da ana julia? da administração do PT no regional? pra uns a espada da justiça pronto p apontar os erros,pra outros o silencio.falta muito,mas muito mesmo pra ser um meio isento.Quer ver um exemplo:,sempre associa a corrupção ou desvio de conduta ao fato de o estado ter ficado unido.uma coisa nada haver com outra.

      Excluir
  3. Pobre folha....,já se tornou uma verdadeira viúva do plebiscito, vão tentar de novo? tá bom ,vão tentando...Será que os 70% de votos contra a divisão não foram suficientes para vocês?Já está ficando antipático isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai se acostumando, esta novela está longe de terminar, para você fazer uma idéia, os antecedentes do movimento de emancipação de Tapajós são antigos, a idéia da criação desta nova Unidade Federativa partiu do governo central há mais de 150 anos, datam do início do século XIX, aproximadamente 1823.
      Pra você ver, e você ainda tem a ilusão de que tudo acabou e o povo desistiu só por causa deste plebiscito viciado em que a mentira e o medo venceram a esperança?

      Excluir
  4. Poderiam propor alem de mudar as regras do plebiscito incluir um tópico importante ao meu ver.Quem propor o plebiscito(pessoa fisica ou juridica) bancar todas as despesas do plebiscito,ai sim queria ver ,toda essa arrogancia e ganancia.Fazer plebiscito todo ano com dinheiro do contribuinte é facil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gasto do blebiscito foi dezenove milhões, um mês de repasse da Prefeitura de Tucuruí.
      Outra proposta seria que o dinheiro para custear o plebiscito poderia ser pago com a devolução de apenas 1% do que os corruptos desviam dos cofres do Pará e prefeituras em apenas um mês.
      Ou quem sabe este valor poderia ser pago com a diferença que os paraenses pagam a mais na conta da energia elétrica mais cara do Brasil.

      Excluir
    2. 19 milhões é muito dinheiro, mas se comparado com o que os corruptos no Pará desviam em apenas um mês, é troco de boteco.

      Excluir
    3. A se dividir o estado os politicos dos novos estados são todos honestos,não haverá mais roubalheira.tá bom. lira maia.giovane queiros,asdrubal bentes ,salame etc.Só politico com processosde acusação de corrupção nas costas. Dá pra rir desses argumentos.fala sério.

      Excluir
  5. O fato de corruptos existirem não serve de justificativa pra que se façam plebiscitos seja lá pro que for.O fato é que o povo do Pará já deu sua resposta.Estão incomodados que se mudem.E aproveitem e levem com vcs Lira Maia..Giovani Queiroz e toda essa raça de abutres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É você quem está incomodado, já que está sendo grosseiro e mal educado, então que mude você e vá dar ordens na sua casa e aos seus empregados. Somos brasileiros e dentro do nosso país moramos onde quisermos que isso não é da sua conta, além do mais o plebiscito é um direito garantido por Lei, e enquanto a Lei permitir e o povo de Carajás e Tapajós quiser, serão feitos quantos plebiscitos forem necessários, querendo você ou não.

      Excluir
    2. Vão ficar tentando separar,o que já o povo disse NÃO bem grande 67%. O ESTADO todo votou e decidiu.Fazer novo plebiscito,mudar a lei pra isso,simplesmente é perda de tempo.Dá nojo ver esse povo insistir nisso,aceitem a derrota,quem sabe daqui a 50 anos.Não adianta insistir o povo está esperto pra essa raça de gente.

      Excluir
    3. Vão tentando só que com esses politicos que estão a frente do SIM. geovane queiroz,lira maia,salame,asdrubal etc...dá até pra rir.tem primeiro que colocar gente honesta pra tocar o movimento pra ter credibilidade.sem isso é chover no molhado.

      Excluir
    4. Claro, claro, os honestos são apenas os que defendem o Não e pensam como você. Mas vamos ao que interessa, discutir honestidade de político é o mesmo que discutir o sexo dos anjos, não percamos tempo que a discussão não é o caráter dos políticos, caráter este que a população conhece tão bem e que por isso dispensa comentários e discussões inúteis.
      A discussão aqui, é o direito que a quase totalidade das populações de Carajás e Tapajós tem de decidir os seus próprios destinos.
      Há 150 anos quando começou o movimento separatista de Tapajós, estes que você citou, seus avós e tataravôs nem tinham nascido ainda, portanto a idéia de emancipação está muito acima e além desta geração de políticos.
      O seu problema é que você e seus pares têm a mente muito estreita e uma visão retrógrada, equivocada e distorcida. São viciados na velha política e não conseguem discutir e debater em alto nível, por isso recorrem à agressão e à mentira, levando a discussão para o lado emocional, explorando a ignorância dos que não sabem, não conhecem e não vivem a realidade da população de Carajás e Tapajós.

      Excluir
  6. A quantas andas a proposta de campanha do "não" feita pelo governo jatene de criar o imposto sobre o minério ?
    Será mais uma proposta mentirosa desse governo ? Adivinhem!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta foi apenas uma das muitas mentiras inventadas pelo Governador e a elite belenense para influenciar a decisão do eleitor no plebiscito. Até as pedras deste Estado sabem que este imposto é ilegal.

      Excluir
  7. O jatene é mentiroso,mas perto dos separatistas o governador é uma criança inocente.Todo separatista deveria andar com uma garrafa de oleo de peroba no bolso, o raça pra mentir,manipular,ocultar e trair.*************.

    ResponderExcluir
  8. Estão vendo como o pessoal do Não é mentiroso e manipulador?
    Primeiro era 70%, depois baixou para 67%, mas na verdade o correto é 66.6%.
    Segundo, não foi a maioria da população do Pará que votou no Não, foi a maioria da região de Belém, a quase totalidade da população mais interessada e que mora em Tapajós e Carajás votou SIM.
    A independência do Brasil não se deu na primeira tentativa. A primeira tentativa foi a Inconfidência Mineira (1789), a segunda foi a Conjuração Baiana (1798), a terceira foi a Insurreição Pernambucana (1817) e finalmente a Independência em 1822. Na época os colonizadores e exploradores como agora, também eram maioria e não queriam a Independência do Brasil.
    Como todos sabem, os sanguessugas portugueses que nos exploravam, deram com os burros n'água, se ferraram, quebraram a cara, dançaram, assim como dançarão os sanguessugas exploradores e enganadores da elite decadente belenense.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já notaram? 66.6%, 666, o número da besta do apocalipse bíblico...
      Será coincidência???

      Excluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!