Tucurui

Tucurui

Notícias

Alterar o idioma do Blog

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Termina greve dos professores em Tucuruí... Game Over?


Terminou a greve dos professores em Tucuruí. Em nossa opinião e por várias razões, ela nem deveria ter começado.

Vamos aos motivos:

1 - A classe dos professores não é unida;
2 - a maioria dos professores têm medo de enfrentar a Secretária de Educação e Prefeito;
3 - o grande número de contratados dificulta a paralisação e portanto o sucesso da greve;
4 - os políticos se lixam para a Educação, ao contrário de outros setores mais sensíveis e estratégicos como a segurança pública e a saúde. Vejam a Polícia Militar, nem teve que fazer greve, bastou ameaçar. A sociedade pode ficar dois meses sem aulas, até por que as aulas serão repostas, mas não fica uma semana ou duas sem polícia nas ruas e sem médicos nos hospitais;
5 - A verdade é que a maioria da população não tem noção da importância do professor, para muitos investir na qualificação e valorização do professor não é investir na educação. Isso por si já é o resultado e um sintoma de uma educação pública deficiente. Quer melhor paraíso para os maus políticos que um povo sem cultura e desinformado? Deixar de educar o povo, para eles não é pressão, é presente.
   
A nosso ver, em primeiro lugar, os professores deveriam ter exigido do Prefeito e da Secretária de Educação a folha de pagamento e outras informações da secretaria, caso se recusassem a prestar estas informações (o que fariam sem sombra de dúvida) o próprio Ministério Público poderia ter solicitado estas informações a pedido do sindicato. Já os valores dos recursos do FUNDEB repassados a Tucuruí em 2011, estão no site do Governo Federal.
   
De posse das informações e caso houvesse a comprovação de irregularidades, o SINTEP poderia acionar a CGU, o TCU e MPF. Os professores podem fiscalizar a educação, denunciando as más condições de trabalho, desvios de recursos e equipamentos, abusos de poder, etc... A Internet e as redes sociais estão ai, ninguém é mais dono da informação. 

Muitos dirão: as greves e as manifestações, além da pressão, também são importantes para conscientizar a população sobre o que está acontecendo na educação pública em Tucuruí... 

Isso é verdade, só que não é preciso declarar greve para fazer manifestações, elas podem ser feitas de diversas formas. Uma carreata relâmpago por exemplo, pode ser feita em umas duas horas ou pouco mais, após uma Assembléia por exemplo, já uma passeata pode ser feita no sábado, e por aí vai.

Não se começa uma luta e não se peita um adversário muito mais forte, sem informações concretas e sem uma estratégia bem traçada e planejada, levando em conta todas as possibilidades, e prevendo as ações e reações da parte contrária. 

A cada greve sem resultados, diminui a credibilidade do sindicato e suas lideranças, e conseqüentemente o apoio dos funcionários que terão que repor as aulas.

Agora é esperar as informações e torcer para que realmente os professores de Tucuruí tenham direito ao abono, caso contrário a categoria terá a sua imagem prejudicada perante a opinião pública, e o prefeito que é o dono da grande mídia (PIG) vai deitar e rolar, e ainda por cima será beneficiado politicamente. 

Com o recuo da greve (que em nossa opinião, é uma estratégia correta) o placar para os professores está por enquanto 0x1... Gol contra, mas ainda dá para virar o jogo e ganhar a partida, se os professores souberem agir com prudência, inteligência, persistência e principalmente... SEM PAIXÕES.

Esta é a nossa opinião, baseada em anos de atuação em organizações sociais e observação dos meios e bastidores políticos. 

Temos consciência de que esta matéria provocará a ira de muitos, de ambos os lados, mas lembrem que quem está de fora, de cabeça fria, e não tem nada a perder ou a ganhar com esta questão, pode enxergar melhor o jogo.

14 comentários:

  1. Vergonha, vergonha, vergonha, não vejo outra palavra para expressar meu sentimento, enquanto isso secretária de educação e seus filhinhos desfilam seus carrões e constroem suas mansões.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente concordo plenamente com o texto. Nós professores somos realmente desunidos e sem coragem, a Secretaria de Educação e alguns diretores ameaçam os professsores com retirada de carga horária e mudança de escola, realmente outras instituições tem um resultado melhor nas greves, como a polícia e ou a sáude, pois depois das greves continuam ganhando a mesma coisa, com os professores é diferente, para ganhar um pouquinho mais precisam trabalhar os dois turnos, caso seja cortado um turno o salario cai pela metade o que ocasiona um grande prejuízo no seu orçamento. E o ministério público de Tucuruí? O que faz realmente? NADA, desde que cheguei em Tucuruí observo que o prefeito manda e desmanda na cidade. E opções políticas para o povo? Não temos! Vereadores ****** e candidatos farinha do mesmo saco. uma coisa é certa: POR TERMOS UMA POPULAÇÃO SEM INFORMAÇÃO E SEM CULTURA os políticos ficam rindo à toa.

    ResponderExcluir
  3. Sabem de quem e a culpa do PREFEITO reajir assim??? de
    vocês PROFESSORES, vcs ensinaram o prefeito D+rsrrsrsrrsrsr, os professores que formou o prefeito e a secretaria, e deu nisso, muito espertos pora meu gosto se ele fosse professor de sala de aula tava ingual a vcs,rsrsrsrrsrssrrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 03:35 AM, tenha cuidado ao expor sua opinião, pelo menos procure escrever corretamente as palavras... O professor é desvalorizado em todo o espaço geográfico brasileiro! E para complementar tal situação, vem o prefeito e abduze os recursos do FUNDEB. Quando Renato Russo escreveu "Que país é este" ele esperou cerca de 10 anos para lançá-la, imaginando que a situação caótica do país iria mudar para melhor... A verdade é que não mudou, simplesmente piorou! Fica meu repúdio com a atual situação dos professores de Tucuruí. Agradeço ao FOLHA DE TUCURUÍ.

      Excluir
    2. É muita, é muita idiotice para um anônimo só. Vc pensa que o Sancler e a Marivane foram nossos alunos? kkkkkkkkk, eles já estão passando do ponto. Nós somos uma categoria de geração nova, apesar de que temos todo o respeito pelos professores mais antigos, que estão completamente sem perspectivas. Vc acha que professores de qualquer lugar, ensinam a matar, roubar, passar por cima dos outros? Pise numa sala de aula e fique só um dia, e te calarás! Mas, vindo de alguém que lambe os sapatos e come das migalhas que lhe dão, defende outros interesses.
      Portanto, eles devem ser do tempo da palmatória ou não tiveram bonequinhos para quebrar a cabeça. Pense antes de falar!

      Excluir
  4. Dizer que não se tem nada a perder ou ganhar com a greve dos professores é no mínimo falta de discernimento,pois, a greve atinge toda a sociedade e tem seus reflexos a curto médio e longo prazos.estrategicamente tem que se repensar esse sindicalismo de resultados(?).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você entendeu muito bem o que queríamos dizer com ganhar ou perder, não se faça de desentendido e não insulte a nossa inteligência.
      A resposta é sim, sindicalismo de resultados sim, qual é o problema? Por acaso o trabalhador não deve ter como prioridade ser bem remunerado, respeitado e valorizado profissionalmente?
      O problema é que muitos querem ser sindicalistas, não para defender os interesses dos trabalhadores, mas os seus próprios interesses, sejam eles financeiros, políticos ou ideológicos. Estamos falando de forma generalizada, sem pretender criticar ou ofender ninguém.
      Não sei quanto a você meu amigo, mas a grande maioria dos trabalhadores (e falamos por nós mesmos) trabalha por dinheiro, e quer apenas ser respeitado, trabalhar em um bom ambiente e receber um salário digno e honesto no final do mês para se sustentar, e dar conforto e segurança para a sua família.
      Sindicato a nosso ver, não é balcão de negócios, não é vitrine para autopromoção, palanque e menos ainda partido político.
      Nós, que fizemos parte da Comissão dos Concursados, um grupo de desempregados sem um centavo furado no bolso e dependendo de favores, nos organizamos, traçamos nosso objetivo e a nossa estratégia, procuramos ajuda e aliados e conseguimos algo inédito: vencer a queda de braço com dois prefeitos (Claúdio e Sancler) e depois de muita luta conseguimos nomear TODOS os concursados classificados (e mais alguns) do ultimo concurso da PMT, isso nunca antes havia acontecido em um concurso público a nível municipal. Teve prefeito que prometeu cortar as mãos mas não assinaria as nomeações, outro disse que não fez concurso algum e não nomearia ninguém, ambos tiveram que engolir as suas palavras.
      Em nossa luta, não dispensamos a ajuda de ninguém, independente da categoria social, profissão, ideologia ou partido político dos que queriam nos ajudar, todos foram importantes e bem-vindos, nós tínhamos um objetivo e queríamos resultados, que era a nossa nomeação. Isso prova que é possível, com persistência, vontade e estratégia vencer o poder.
      Mas para isso é preciso saber exatamente qual é o objetivo e lutar por ele.

      Excluir
  5. Grevinha sem vergonha!!kkk

    ResponderExcluir
  6. A Irmã Rosali poderia ficar muito chateada, com certeza! Onde já se viu. Agora, se eu pudesse te daria umas aulinhas de Língua Portuguesa, Anônimo!

    ResponderExcluir
  7. Assumir que fracassamos, é o primeiro passo para rever algumas situações. Uma coisa é certa, nosso adversário tem um outro perfil, diferente de outros...As estratégias devem ser novas, gente, ninguém mais que os profesores sabem da necessidade de renovação, estratégias, adaptação à realidade...INOVAÇÃO. Portanto, caros colegas conhecer e estudar o adversário, bem como os meios que o mesmo utiliza para se "destacar", são pontos fracos do mesmo. Pensem nisso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem três coisas que o prefeito teme mais que outras: ele tem medo de povo, de críticas e de informação.
      Por isso não responde perguntas na rádio, evita comparecer a eventos públicos e audiências, compra as rádios e televisões e processa quem o critica.

      Excluir
  8. Já pararam para perceber que o prefeito não gosta dos agentes mais importantes da educação: professores e alunos? Depois, investe em educação, hein?

    ResponderExcluir
  9. "Não se pode falar em educação, sem amor."
    Paulo Freire
    Portanto, quem encara a educação com tanto ódio, não pode mostrar respeito aos semelhantes que precisam emancipar-se e nem reconhecer as necessidades do meio e das pessoas que fazem parte dele.

    ResponderExcluir
  10. Parabens professores nao se sintam vencidos ,voces lutam pelo que e de voces.Nao e vergonha fazer greve ,vergonhoso e para esse prefeito e sua secretaria, ****** o que e de voces, olhem as mansoes carros da secretaria e de seu filho. **************

    ResponderExcluir

IMPORTANTE: Comentários contendo ofensas pessoais, palavrões, denuncias sem provas, ou afirmações negativas baseadas em “opiniões” ou suposições, tendo como objetivo perseguições pessoais ou politico partidárias, contra pessoas e/ou instituições, e não em FATOS concretos que se possa comprovar, serão moderados ou excluídos a critério da Equipe Folha. Evite também escrever em caixa alta (Letra maiúscula).

Agradecemos pela sua participação.

Um grande abraço!!!